O ex-ministro do governo Lula e Dilma foi surpreendido nesta madrugada de segunda-feira (17), com a notícia que sua mãe, Olga Guedes da Silva, de 96 anos, havia falecido. #José Dirceu está cumprindo pena em prisão domiciliar, utilizando tornozeleira eletrônica. A defesa do ex-ministro tinha solicitado para Sérgio Moro que Dirceu viajasse para a cidade de Passos Quadros, Minas Gerais para ver sua mãe e o juiz autorizou a viagem. Neste último sábado (15), Sérgio Moro recebeu um novo pedido da defesa do ex-ministro, pedindo para que alongasse ainda mais o tempo de permanência de Dirceu na cidade. Sérgio Moro, autorizou novamente devido ao caso de doença da mãe de Dirceu.

Publicidade
Publicidade

O motivo da #Morte da mãe do presidiário não foi divulgado. Ela já estava sofrendo de doenças há algum tempo. A militância utilizou meios de comunicação para dar apoio e solidariedade ao petista e a nota foi divulgada pela Secretaria Nacional LGBT do #PT.

José Dirceu preso

José Dirceu, um nome forte para os petistas, acabou sendo preso por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro. Ele foi condenado duas vezes pelas investigações da Operação Lava Jato e desde 2015 permaneceu na cadeia por ordem do juiz federal Sérgio Moro. No entanto, no mês de maio desde ano, Dirceu conseguiu através do Supremo Tribunal Federal (STF) a liberdade.

Os ministros do STF, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski foram responsáveis por três dos cinco votos da turma, aceitando a liberação de Dirceu.

Publicidade

A discussão dos ministros do STF levou a decisão de que Sérgio Moro poderia escolher, de maneiras menos "bruta", medidas cautelares para que Dirceu cumpra pena. O juiz federal, que ganhou grande notoriedade por colocar na cadeia grandes nomes da sociedade, decidiu que o petista usaria tornozeleira eletrônica.

A posição do STF trouxe grandes debates. Há pessoas da mídia que afirmaram que isso seria um "tiro de canhão na Lava Jato". Sérgio Moro não comentou sobre o acontecimento, mas, em outras entrevistas, o juiz avaliou que o fato de condenar grandes políticos ou empresários fez com que a carceragem de Curitiba recebesse "presos ilustres" e isso causaria incômodo em muitas pessoas.

Os procuradores do Ministério Público Federal (MPF) também não teriam gostado em nada dessa decisão do STF, e avaliam um possível "efeito dominó". Após a soltura de Dirceu, outros presos como Antonio Palocci e Eduardo Cunha, também tentariam se livrar da cadeia.