Publicidade
Publicidade

O juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância e titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná, determinou que bens relacionados ao ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio #Lula da Silva, fossem confiscados pela Justiça. O juiz paranaense foi contundente em sua decisão ao argumentar que o sequestro de bens, por meio do bloqueio de imóveis que também foram confiscados se referem "à parte ideal de 50% correspondente à meação", ou seja, considerando a situação da ex-primeira-dama, Marisa Letícia, já falecida desde o mês de fevereiro em decorrência de um acidente vascular cerebral.

Publicidade

A solicitação de bloqueios de bens relacionados ao ex-presidente Lula, foi realizada na data de 4 de outubro de 2016, através de uma medida assecuratória de arresto e sequestro de bens. Procuradores federais haviam apresentado ao juiz federal Sérgio Moro um verdadeiro 'rol de bens', relacionados ao ex-mandatário do país.

Lista de bens bloqueados

Em relação à determinação dada pelo juiz Sérgio Moro, para que bens fossem bloqueados, constam aproximadamente, apartamentos de luxo, terrenos e ainda três veículos. Ainda de acordo com o pedido feito pela Procuradoria-Geral da República, após ter assumido o comando do país, durante seu governo, o ex-presidente Lula teria agido por meio da "formação de um esquema considerado delituoso relacionado a desvios de recursos públicos com o propósito de que pudesse enriquecer ilicitamente, além de visar a perpetuação criminosa no poder, como também, a compra de apoio de parlamentares e financiamento de campanhas eleitorais muito caras".

Publicidade

O juiz Sérgio Moro determinou ainda que fosse encaminhado um ofício ao Banco Central , que é a instituição responsável pela execução desse tipo de medida cabível. Vale ressaltar que dentre os imóveis e automóveis aprendidos o juiz Sérgio Moro decidiu que ficasse de fora uma verdadeira "antiguidade". Trata-se de uma camionete com cerca de três décadas de utilização, uma Ford F1000, de 1984. O magistrado afirmou que o bem devido à antiguidade, "não teria valor representativo". Dentre os bens confiscados encontram-se dois veículos, um GM Omega CD, de ano 2010, além de Ford Ranger LTD, ano 2012/2013.

O juiz Sérgio Moro acolheu parte do requerimento apresentado pela Procuradoria-Geral da República e determinou, através de sua sentença, o confisco do imóvel do Guarujá e impôs uma multa no valor de R$ 16 milhões ao petista e a outros réus, como o empreiteiro Léo Pinheiro e o executivo Agenor Franklin Medeiros. #Lava Jato #Corrupção