Nesta quarta-feira (12) a sentença proferida pelo juiz federal Sérgio Moro pegou o país de "surpresa", a partir da decisão que determinou a condenação do ex-presidente da República [VIDEO] Luiz Inácio #Lula da Silva, no processo que envolve a aquisição do apartamento de luxo tríplex, localizado na praia de Astúrias na cidade de Guarujá, litoral do estado de São Paulo.

Sérgio Moro condenou Lula a cerca de nove anos e seis meses de prisão, cuja decisão será julgada pelo TRF4 (Tribunal Regional Federal da Quarta Região), sediado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Moro é responsável pela Operação #Lava Jato e é o titular em primeira instância da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná.

Publicidade
Publicidade

Juiz Sérgio Moro rebate defesa de Lula

Em sua decisão, o magistrado paranaense respondeu enfaticamente algumas acusações feitas pelos defensores do ex-presidente Lula. Moro dedicou um longo trecho de sua decisão com referências às suspeições a respeito de uma suposta "parcialidade" atribuída ao juiz, por parte da defesa do ex-presidente. Entretanto, a "parcialidade" apregoada pela defesa de Lula foi refutada pela Corte de Apelação, o TRF4, que é a instância jurídica imediatamente acima do juiz Sérgio Moro.

De acordo com trechos da decisão proferida pelo juiz titular da Operação Lava Jato, ressalta-se que os advogados do ex-presidente Lula e também de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, apresentaram "exceções de suspeição" contra o magistrado por cerca de duas vezes. Vale lembrar que as exceções de suspeição constam uma na fase de inquérito e outra com o processo já tendo sido instaurado.

Publicidade

O juiz Sérgio Moro afirmou em sua sentença que os questionamentos a respeito da imparcialidade deste julgador constituíram mero diversionismo e mesmo que se caracterizassem como compreensíveis como estratégia de defesa, não deixariam de ser lamentáveis, já que não encontrariam qualquer base fática, além de não acarretarem basem em argumentos que sejam considerados que fossem minimamente consistentes.

O juiz Sérgio Moro foi ainda mais longe em sua decisão, ao se referir sobre a linha de defesa adotada pelos advogados de Lula, ao considerar que a desqualificação deste julgador (Sérgio Moro), por receio aparente em relação ao temor de um resultado processual considerado de modo desfavorável, já que medidas questionáveis haviam sido tomadas pela defesa fora desta ação penal.

Defesa de Lula se manifesta

Os advogados de Lula se manifestaram a respeito da decisão de condenação a Lula, proferida pelo juiz Sérgio Moro, ao afirmarem que seria um ataque à democracia brasileira e ao Estado de Direito, já que o julgamento do juiz Sérgio Moro estaria ignorando provas contundentes de inocência de Lula, segundo os defensores do ex-mandatário do país. #Corrupção