Após a decisão proferida na última quarta-feira (13) pelo juiz de primeira instância, Sérgio Moro, que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de prisão em regime fechado pelo caso do tríplex no Guarujá, o petista afirmou nesse sábado (15) que nunca acreditou em uma absolvição vinda de Moro. A fala de Lula foi feita no discurso de posse da nova diretoria do #PT na cidade de Diadema, no ABCD de São Paulo.

O ex-presidente afirmou que a decisão de Moro foi política, não jurídica. Disse que conversava com seus advogados e argumentava que eles tentavam fazer seu trabalho, o defendendo juridicamente, porém seria em vão, já que o julgamento de Moro dizia respeito ao "nosso governo, as coisas que fizemos nesse país".

Publicidade
Publicidade

Lula também aproveitou para bater na grande imprensa. O ex-presidente afirmou que a sentença de Moro, além de política, era uma mera resposta à imprensa. Segundo o petista, ele percebeu que não teria jeito no dia do seu depoimento, e relembrou que afirmou a Moro que ele não tinha como o absolver porque seria comido vivo pela imprensa caso o fizesse. E concluiu: "estava prestando contas".

Para finalizar, o petista disse que sua condenação era o final do golpe. Segundo argumentou, não fazia sentido inventarem uma mentira para tirar a ex-presidente Dilma "para deixar o Lula voltar dois anos depois?". #Dentro da política