Em entrevista à Rádio Capital nesta terça-feira, o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula, fez uma breve avaliação do período em que sua sucessora e afiliada política, #Dilma Rousseff, dirigiu o Brasil. Como erro, o líder petista entendeu que não havia a necessidade de se desonerar as indústrias da maneira como foi feito.

Segundo cálculos realizados por técnicos da Receita Federal, Dilma concedeu um total de R$ 458 bilhões em desonerações de tributos desde 2011, em prazo que se encerra até 2018 - vínculo do seu segundo mandato. Lula reconheceu que isso foi um erro, mas que "ao menos ela tentou fazer uma reforma no tempo correto".

Publicidade
Publicidade

Lula também lamentou o fato de Dilma ter governado o Brasil com Eduardo Cunha na presidência da Câmara dos Deputados. Atualmente, Cunha está preso por conta do seu envolvimento na Operação Lava-Jato.

"Dilma tinha Eduardo Cunha na presidência da Câmara", relembrou Lula. "Agora está cada vez mais provado que o problema do Brasil não era ela".

No fim, ele ainda fez um elogio à sucessora sobre sua gestão em 2014, antes do início do segundo mandato, quando o país conseguiu exibir um baixo nível de desemprego. "Ela terminou o primeiro mandato em situação invejável".