Luiz Inácio #Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, deu seu depoimento nesta sexta-feira, 7, em defesa da senadora, #Gleisi Hoffmann, em uma ação penal da Operação Lava Jato que ela e seu marido enfrentam juntos. A senadora e o seu esposo, Paulo Bernardo, são réus em uma ação que está em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF).

O testemunho do ex-presidente aconteceu em São Paulo, no Fórum Criminal da Justiça Federal e teve, mais ou menos, 30 minutos de duração.

Após o petista, ainda irão dar testemunho o advogado Ivo da Motta Azevedo Correa e Beto Ferreira Martins Vasconcelos, ex-secretário executivo da Casa Civil.

Publicidade
Publicidade

O processo que a petista Gleisi e seu marido enfrentam está relacionado a uma quantia bastante expressiva, que chega a R$ 1 milhão de procedência ilegítima, destinado a custear a campanha da senadora para se eleger ao Senado nas eleições de 2010. A soma seria de procedência ilegal relacionada a acordos envolvendo a Petrobras.

Os processos que o ex-presidente Lula enfrenta

Além de tudo isso, o ex-presidente Lula ainda é réu em cinco processos. O mais conhecido deles é do apartamento do tríplex.

De acordo com a acusação, o ex-presidente teria recebido um apartamento no tríplex no Guarujá, em São Paulo, da empresa OAS na época em que Lula ainda era presidente.

Além do caso do tríplex, o petista também enfrenta mais outros quatro processos menos comentados, mas não menos importantes para justiça.

Publicidade

São eles:

  • Instituto Lula

Conforme a acusação, suspeita que a construtora Odebrecht tenha doado 12 milhões de reais ao PT para a aquisição de um terreno para o instituto.

  • Compra de silêncio

Aqui o ex-presidente é acusado de comprar o sigilo de um dos funcionários que compunha a diretoria da Petrobras na época que estava no poder.

  • Aviões de combate

A acusação recai sobre a compra de caças da Suécia ainda no governo da ex-presidente Dilma, totalizando a soma de 5 bilhões de dólares.

  • Angola

E por fim, o ex-presidente é suspeito por lavagem de dinheiro, tráfico de influência e corrupção passiva no caso Angola.

A briga interna do PT

No início de junho, a senadora Gleisi foi eleita a presidente do partido petista. O seu principal adversário era o senador Lindbergh Farias, que, por sinal, sempre defendia o ex-presidente Lula. Mas a situação mudou depois de uma declaração polêmica de Lula, que tinha como preferência a senadora Gleisi para a presidência do partido. O ex-presidente disse na época da disputa que Lindbergh Farias não tinha futuro como político, o que parece ter deixado o ambiente interno do PT ainda mais hostil. #Processos de Lula