Foi anunciada, nesta quarta-feira, (12), a sentença em que o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva era réu no processo de corrupção e lavagem de dinheiro que envolve o tríplex do Guarujá, no litoral de São Paulo. O juiz Sergio #Moro sentenciou o ex-presidente a 9 anos e 6 meses, mas a prisão não foi decretada. O Ministério Público Federal havia pedido prisão em regime fechado, o que poderia levar o ex-presidente a cadeia comum, já que ele não tem formação universitária.

Lula foi denunciado pela Operação Lava Jato e o processo contra ele vem sendo avaliados por Moro, responsável pelos processos da operação na primeira instância, que agora deu sua decisão.

Publicidade
Publicidade

Ele foi acusado de receber dinheiro de propina da construtora OAS, que tinha um enorme esquema de corrupção envolvendo muitos políticos e executivos de alto escalão da Petrobras.

A OAS foi, inclusive, apelidada de “Clube do Milhão”, devido as enormes quantias em dinheiro que era repassada a várias pessoas em troca de favorecimentos em licitações entre outros crimes. Pela primeira vez na história do Brasil, um ex-presidente é condenado por algum crime. Essa condenação foi baseada nos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva,

Segundo a decisão do juiz Moro, o apartamento tríplex é de propriedade de Lula, ao contrário do que ele alega desde o começo do processo, e teria sido dado pelos empresários da OAS em troca de vantagens por contratos com a Petrobras.

O processo correu de forma rápida.

Publicidade

Pouco mais de dez meses depois de feita a denúncia pelos procuradores que fazem parte da Lava Jato, a sentença já foi anunciada. A força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) acusou Lula de ser o grande “chefe” do esquema de propina, envolvendo OAS e Petrobras.

De acordo com a denuncia contra Lula, ele teria recebido mais de R$ 3,7 milhões em propinas, trocando e oferecendo vantagens para a empresa OAS, fraudando contratos com a empresa estatal. Os procuradores da República declararam que a empresa teria gasto quase R$ 1 milhão apenas com a reforma do tríplex, tudo a pedido de Lula e sua esposa Marisa Letícia, que morreu este ano.

Na sentença, o ex-presidente petista foi absolvido pelo armazenamento e posse indevida de objetos que seriam da União. Segundo a decisão de Moro, a decisão foi tomada por “falta de prova suficiente de materialidade”.

O ex-presidente Lula sempre negou ter recebido propina ou ter dado qualquer tipo de favorecimento a OAS ou a qualquer outra empresa e se diz inocente de todas as acusações. Até o fechamento deste artigo, nem os advogados e nem a assessoria do ex-presidente se pronunciaram sobre a decisão de Moro. #Política