O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva concedeu uma entrevista, nesta última quarta-feira (05), para a "Arapuan FM", uma rádio localizada em Paraíba. O petista aproveitou a oportunidade para mandar um recado para a #Rede Globo, especificamente citando o programa "Jornal Nacional" e alguns apresentadores da emissora. Aparentemente muito irritado, o ex-presidente disse que a não quer morrer até que a Rede Globo faça um pedido de desculpas a ele. Lula se coloca como vítima da mídia e do Ministério Público Federal e se diz perseguido pelas investigações que ocorrem no âmbito da Operação Lava Jato. O ex-presidente é réu em cinco processos na Justiça.

Publicidade
Publicidade

Lula também disse que é uma honra conversar com rádios do interior e "detonou" o programa jornalístico global, citando que o "Jornal Nacional" fala o que quer. Ainda no mesmo dia, após conceder a entrevista para a rádio, o ex-presidente utilizou suas redes sociais na internet para fazer mais um ataque contra a emissora. Lula enfatizou que teriam muitas pessoas contentes com toda a crise política que está ocorrendo no governo de Michel Temer e com as acusações ao atual presidente. Lula, contudo, fez uma alerta sobre o motivo pelo qual quer a saída do atual mandatário da República, Michel Temer (PMDB), que seria diferente ao da rede Globo. Ele cita que os petistas desejam eleições diretas, mas a Globo quer eleger candidato.

Ao citar apresentadores, Lula falou sobre Luciano Huck e Faustão.

Publicidade

Em ironia, o réu em processos na Lava Jato disse que a Rede Globo queria, até mesmo, colocar o Faustão e o Huck na corrida para as eleições presidenciais de 2018. Lula já demonstrou na mídia que tem o desejo de disputar, novamente, a presidência da República.

Investigações

Uma das investigações que tramitam na Justiça contra o ex-presidente é sobre um triplex localizado na cidade de Guarujá, litoral de São Paulo. Nesta última quarta-feira (05), a defesa de Lula acabou sofrendo duas derrotas a respeito deste processo. As derrotas foram a negação da Justiça sobre dois agravos regimentais. O desembargador João Pedro Gebran Neto foi quem negou o pedido de Lula.

Segundo investigações da Operação Lava Jato, Lula seria dono do imóvel do Edifício Solaris. O objetivo do triplex seria o de ocultar propinas da empreiteira OAS para Lula. Em descobertas feitas pela força-tarefa da Lava Jato, Lula e sua família costumavam frequentar a praia Forte dos Andradas, que coincidentemente ou não, fica a apenas cinco minutos do Edifício Solaris. #Eleições 2018