Publicidade
Publicidade

Condenado nesta quarta-feira (12) em primeira instância a nove anos e seis meses de prisão em regime fechado pelo juiz federal #Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (#PT) deverá responder ao processo em liberdade e sua defesa poderá recorrer da decisão, porém, se a condenação for mantida na 2ª instância, o petista poderá ficar inelegível, sem poder disputar as eleições do ano que vem.

#Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, acusado de ser beneficiado com o triplex do Guarujá. Moro afirmou na sentença que o crime de corrupção envolveu a destinação do valor de R$ 16 milhões em prol de representantes políticos do Partido dos Trabalhadores.

Publicidade

Para ele, o valor é considerado muito expressivo.

Um dos pontos da denúncia é sustentado com base nas visitas que ele e a esposa Marisa Letícia (já falecida) fizeram ao apartamento no Guarujá, entre os anos de 2013 e 2014. De acordo com os procuradores, a família Lula da Silva decidiu sobre as obras que seriam realizadas no imóvel como, por exemplo, a instalação de um elevador privativo. No entanto, na mesma sentença, o juiz Sergio Moro absolveu o ex-presidente dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o armazenamento do acervo presidencial. Segundo o juiz, não há prova suficiente da materialidade.

Ainda foram condenados o dono da OAS, Leo Pinheiro, por corrupção ativa e lavagem de dinheiro; e o ex-executivo da empresa, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, por corrupção ativa.

Publicidade

No processo consta suspeita contra o ex-presidente Lula [VIDEO] de que ele havia recebido R$ 3,7 milhões em propina em razão de três contratos entre a Petrobras e a empreiteira OAS.

De acordo com o MPF, através de denúncia em 14 de setembro de 2016, o dinheiro teria sido repassado ao petista por meio do triplex e do pagamento pelo armazenamento de seus bens entre 2011 e 2016, entre eles, presentes que ganhou quando era presidente. Essa é a primeira vez desde que foi promulgada a Constituição de 1988, que um ex-presidente da República é condenado por um crime.

Com a decisão do juiz Sérgio Moro, Lula irá recorrer em liberdade até que um eventual recurso seja julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Para o magistrado, a prisão cautelar de um ex-presidente da República sempre envolve “certos traumas”. O Partido dos Trabalhadores deverá emitir uma nota oficial sobre a condenação do ex-presidente Lula nas próximas horas.