O Brasil está vivendo uma grande crise política desde o impeachment da ex-presidente da República Dilma Rousseff. Porém, quem assumiu o maior cargo do poder executivo no país foi o antigo vice-presidente e atual presidente da República, Michel Temer, que, até então, não havia provas de crime contra ele, mas um vazamento do áudio gravado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, de uma conversa com Temer demonstrou eventuais provas contra o atual presidente do país, o que agravou a grande crise política.

Desde o áudio divulgado na mídia, muitas soluções foram solicitadas por parcelas da população, a esquerda brasileira deseja, até hoje, uma eleição direta, pois julga a conclusão mais honesta para resolver os problemas, mesmo sendo inconstitucional.

Publicidade
Publicidade

Uma parcela da direita política [VIDEO]brasileira pede um novo regime militar, assim como aconteceu em 1964, mas também é inconstitucional. A única solução constitucionalmente legal é a eleição indireta.

Tamanho do grupo de manifestantes

Um grupo de manifestantes caminhou pela Avenida Paulista, em São Paulo, neste domingo (23), escoltado pela Polícia Militar. Os manifestantes apoiaram PM, protestaram contra a morte de policiais no País e também pediu #Intervenção Militar. O que mais impressionou é que o #Protesto reuniu 500 pessoas.

O número é exorbitante para o tipo de #Manifestação, já que o apoio à Polícia Militar junto com pedidos de um novo regime militar não são muitos comuns, mas o que a manifestação mostrou é que existem muitos apoiadores das Forças Armadas no poder novamente. Porém, o processo seria inconstitucional, até porque o Artigo 142 da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 apresenta que as três Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) sãos subordinadas e devem seguir as ordens do presidente da República.

Publicidade

Regime militar de 1964

O regime militar de 1964 divide muitas opiniões. Os manifestantes que hoje apoiam uma nova intervenção militar são os mesmos que defenderam o regime instaurado na década de 1960 como um processo de defesa do país para os regimes socialistas impostos pela União Soviética.

Os grupos contrários ao regime são os que o denominam como ditadura militar, afirmando que o processo foi desnecessário e totalmente autoritário. Há uma grande discussão dentro das lideranças políticas sobre este período. Por isso, uma parcela da população vem pedindo um novo regime militar, por acreditar que o regime de 1964 foi benéfico para o Brasil.