A ex-presidente da República, #Dilma Rousseff, só deixou o governo no meio do seu mandato por que sofreu um processo de impeachment e acabou tendo que se retirar da presidência do Brasil com dois dos quatro anos cumpridos, assim que a petista saiu quem assumiu foi o vice-presidente #Michel Temer, o qual é acusado por Dilma e toda a cúpula petista de ter aplicado um "golpe" à sua aliada.

O clima ficou tenso entre os dois políticos quando a ex-presidente estava vivenciando uma crise política durante o seu mandato e o ex-vice-presidente Michel Temer enviou uma carta, que acabou sendo divulgada na imprensa, afirmando que ele era um vice decorativo e não participava das decisões do governo como deveria, após isso aconteceu o impedimento do governo por responsabilidade fiscal, o qual foi votado na Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

Indireta no Twitter

A petista não mediu papas na língua ao publicar em seu Twitter oficial sobre a atual situação do presidente Michel Temer, que está sendo acusado por corrupção passiva pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o integrante do PMDB pode deixar o governo para que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, assuma o cargo.

Dilma Rousseff publicou em seu Twitter citando o filósofo alemão "Karl Marx", afirmando que, desde o tempo de Marx, todos sabem que a história sempre se repete, a primeira vez acontece como tragédia e a segunda como farsa, dizendo que o impeachment de 2016, no qual ela denomina como "golpe", foi uma tragédia e que o impedimento de governo do Temer em 2017 será uma "farsa das elites".

Ainda, a ex-presidente aproveitou para dizer que em vez de carta, a mesma manda tuítes, e citou uma frase em latim, na qual diz que as palavra voam e os escritos se mantêm.

Publicidade

Lula

O ex-presidente Lula também denomina o impeachment de 2016 como "golpe", e o petista tem desejo de se candidatar à presidência da República em 2018, porém, já afirmou que o próximo presidente será o Rodrigo Maia e que o atual, Michel Temer, não durará mais de uma semana no comando do país.

O ex-presidente afirmou que ninguém mais do que ele deseja tanto a saída de Michel Temer do governo, porém, afirmou que gostaria de eleições diretas, mas a cúpula do PT já analisou que para ter "Diretas Já" teria que aprovar uma PEC (Projeto Emenda Constitucional) na Câmara dos Deputados e Senado Federal, e mesmo se for aprovada, só valerá a partir das próximas eleições, quando não seria uma medida necessária para Lula. #Indireta