Uns torciam, outros esperavam que não acontecesse. Mas, enfim, o juiz federal Sérgio #Moro, responsável pelos processos em primeira instância da Operação Lava-Jato, divulgou a sentença envolvendo o caso do ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, na compra do triplex, do Guarujá, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Moro determinou que Lula ficará preso durante 9 anos e 6 meses.

A notícia não deixa de entrar para a história do Brasil, já que é a primeira vez que um ex-presidente da República acaba condenado pela justiça por um crime comum. A sentença determinada por Moro no processo de Lula foi publicada oficialmente nesta quarta-feira, 12, o que permite que a defesa do ex-presidente entre com recurso.

Publicidade
Publicidade

Foram 218 páginas no documento que abriga a sentença do juiz federal que coordena as investigações da Lava-Jato. A sentença apresenta um resumo das acusações contra Lula, bem como as análises das provas testemunhais, documentais e periciais. Moro afirmou que até houve uma tentativa de intimidação da Justiça por parte do acusado, o que possibiltaria um pedido de prisão preventiva. No entanto, o juiz entendeu que o pedido não seria positivo no sentido de que ele estaria faltando com a "prudência".

"Considerando que a prisão de um ex-presidente da República envolve certos traumas, a prudência recomenda que se espere o julgamento pela Corte da Apelação. Sendo assim, o ex-presidente poderá apresentar a apelação em liberdade", define Moro em determinado trecho da sentença.

Repercussão enorme

Como já era de se imaginar, a notícia caiu como uma verdadeira bomba no noticiário brasileiro e no exterior.

Publicidade

Ainda no início da tarde, alguns portais brasileiros davam a notícia e esperavam mais informações. Um detalhe bastante destacado pela imprensa é que Moro determinou, também, que Lula não poderá exercer cargos públicos pelo período que represente o dobro da pena, isto é, 19 anos. Mas a decisão só valerá se for avalizada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Os principais jornais e emissoras de TV de fora do Brasil repercutiram a condenação de Lula. O New York Times, dos Estados Unidos, diz que a sentença de Moro representa "um grande revés para um dos políticos mais influentes da América Latina. A CNN, por sua vez, destaca a punição por "corrupção" do ex-presidente brasileiro. Já o The Guardian, do Reino Unido, relata que Lula deixou uma "infância pobre para se tornar presidente do Brasil duas vezes".

Lula também foi um dos nomes mais comentados durante toda a quarta-feira no Twitter.

Solidariedade de Dilma

Dilma Rousseff, que teve em Lula o seu grande padrinho político [VIDEO], fez questão de prestar sua solidariedade nesse momento difícil vivido pelo companheiro de partido.

Publicidade

A ex-presidente, que foi destituída do cargo por meio de um impeachment em agosto de 2016, chegou a dizer que a condenação do líder petista por parte do juiz Sérgio Moro era um "escárnio".

"A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de detenção, feita sem provas, é um verdadeiro escárnio. Essa injustiça e esse absurdo jurídico estão envergonhando o Brasil. Lula [VIDEO] é inocente diante de uma acusação que impacta a democracia do país", salientou.

Dilma ainda deixou como possível a chance de Lula se reerguer e disputar as eleições presidenciais do ano que vem. Ela chegou a mencionar que "o povo brasileiro saberá resgatá-lo em 2018".

Lula, mesmo condenado, ainda poderá ser candidato se o TRF não aprovar a pena instituída. Em todas as pesquisas de intenção de votos do público feitas até agora, o ex-presidente liderava com alguma tranquilidade.