A Procuradoria-Geral da República (PGR) já fez oferta e pretende contratar um ex-procurador que é conhecido como o cérebro da #Lava Jato na Suíça. Estamos falando de Stephan Lenz, que foi o grande responsável em comandar investigações da Petrobras e da construtora Odebrecht no país europeu. Ele pediu demissão do cargo no ano passado e seus trabalhos eram muito relevantes e de suma importância para a operação. A PGR quer ele de volta e isso poderá ser uma força a mais para os trabalhos realizados pelo juiz federal Sérgio Moro.

O objetivo da PGR é que o ex-procurador possa intermediar a repatriação de fortunas bloqueadas em mais de 40 bancos.

Publicidade
Publicidade

Ele agiria como um consultor da Procuradoria na Suíça. Com a ajuda de Lenz, mas de 190 milhões de dólares foram repatriados para o Brasil. Sem contar que foram enviados ao Brasil documentos importantes das contas do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, como por exemplo, transações bancárias e extratos, ajudando na prisão do ex-deputado.

Investigações

Lenz foi responsável em comandar investigações contra o ex-diretor da estatal petrolífera, Nestor Cerveró, de doleiros e empresas que se tornaram fachadas para o esquema criminosos da Odebrecht. Até o Ministério Público do Peru o contratou para que ele intervisse na repatriação de dinheiro corrupto para o país.

Lenz pode ser um grande aliado do juiz Sérgio Moro, pois seu trabalho facilita e ajuda muito as investigações no Brasil.

Publicidade

A PGR está aguardando apenas o aval da Advocacia-Geral da União (AGU) para contratar o ex-procurador.

Exemplo da Suíça

Após o desmanche da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, a Suíça comentou que lá as coisas seriam diferentes. O país determinou que ao invés de diminuir o quadro de investigadores, irá aumentá-lo, pois a organização criminosa que saqueou a Petrobras se expandiu para vários setores e tudo tem que ser apurado.

O procurador-geral da Suíça, Michael Lauber, afirmou em nota que soube dessa reorganização brasileira, mas garantiu que os dois países irão trabalhar em conjunto contra os corruptos.

Graças a essa colaboração entre as autoridades dos dois países, várias contas suspeitas foram bloqueadas e acordos foram feitos para aqueles que sofreram perdas sem estarem envolvidos em esquema de fraude.

De acordo com Lauber, a Lava Jato na Suíça tem o forte apoio da Polícia Federal do país e possui mais de 10 membros especialistas no combate à #Corrupção. #Sergio Moro