Preso desde novembro de 2016, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, pode ter sua pena aumentada. Isso porque o Ministério Público Federal (MPF) apresentou nesta terça-feira, dia 26, um pedido à 7ª Vara Federal do RJ solicitando que Cabral seja condenado pelas acusações originárias da Operação #Calicute.

O ex-governador e sua mulher, Adriana Anselmo – que também teve a condenação solicitada pelo MPF – são acusados de lavagem de dinheiro e pertencimento à organização criminosa. Recentemente, Cabral foi condenado a 14 anos e 2 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro. O político foi considerado culpado por #Corrupção passiva, recebimento de vantagem indevida e lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Cabral é acusado de ter recebido propina referentes ao contrato de terraplenagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Atualmente, Cabral cumpre pena na cadeia pública José Frederico Marquês, em Benfica, na Zona Norte da cidade do Rio. Antes, o político estava preso no Complexo de Bangu 8. Recentemente, reportagens noticiaram que o ex-governador obtendo regalias no presídio. Sua esposa, Adriana Ancelmo, cumpre prisão domiciliar no apartamento do casal, localizado no Leblon, Zona Sul da capital fluminense. #Sergio Cabral