As pesquisas presidenciais feitas por meios midiáticos convencionais vinham sempre apresentando resultados parecidos, tanto que muitos apoiadores da direita no país ficaram com um certo receio com a volta do ex-presidente da República Luiz Inácio #Lula da Silva, até porque o petista vinha ocupando, isoladamente, as pesquisas de intenções de votos.

Uma nova #pesquisa sobre possíveis presidenciáveis foi feita pelo 'Datapoder360', a qual apresentou uma grande mudança das últimas apresentadas anteriormente, pois o resultado indicou um grande crescimento do deputado federal, que se apresenta como pré-candidato a presidência da República, Jair Messias #bolsonaro.

Publicidade
Publicidade

A pesquisa

Na pesquisa, que foi feita nos dias 9 e 10 de julho, ou seja, antes da condenação do ex-presidente Lula [VIDEO], em primeira instância, pelo juiz federal Sérgio Moro, a 9 anos e meio de prisão, no âmbito da operação Lava Jato, o que não tem qualquer influência na pesquisa, e foram entrevistadas 2.178 pessoas acima de 16 anos, pois são as que podem votar, em 203 municípios.

A pesquisa presidencial apresenta um grande crescimento do deputado federal Jair Messias Bolsonaro, onde o ex-presidente Lula ainda aparece em primeiro, porém, empatado tecnicamente com Bolsonaro, o que estava longe de acontecer em outras pesquisas.

Lula aparece em primeiro com 26% das intenções de votos, e Jair Bolsonaro fica em segundo com 21% dos votos válidos, sendo que a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e isso indica algo inédito, por meio dessa margem errônea dá para perceber o Bolsonaro totalmente encostado em Lula.

Publicidade

Queda de Lula

O ex-presidente Lula deve sofrer grandes mudanças nas novas pesquisas de possíveis presidenciáveis, em 2018, isso se dá porque o petista sofreu a condenação em primeira instância pelo caso do tríplex no Guarujá, Litoral de São Paulo, pelo qual o ex-presidente é acusado por ocultar o imóvel e ter recebido-o como forma de propina da empresa OAS, sentro que a peça de acusação afirma que Lula teria favorecido a empreiteira em firmamentos de contratos com a estatal Petrobras.

As mudanças devem ser que em todas as pesquisas deve ser apresentado um cenário considerando a candidatura de Lula e outro não, até porque existem grandes chances do petista ser condenado em segunda instância, assim ficando inelegível para qualquer eleição para cargos públicos, porém, o ex-presidente ainda tem uma grande popularidade.