A #Polícia Federal declarou recentemente troca de grupo de delegados ligados a Operação Lava Jato. Em Brasília, a justificativa da PF foi recebida juntamente com a notícia da suspensão na produção de passaportes e também com os dizeres de que a Polícia Federal Rodoviária terá serviços que irão ser suspensos.

Todas as justificativas dadas pela PF chegam até Brasília como uma forma de protesto do órgão. O Ministério da Justiça acredita que há um grande descontentamento com o atual ministro do governo de Michel Temer, Torquato Jardim. O ministro se mostrou uma pessoa fiel ao presidente da República.

O que pode acontecer é que a paralisação da Polícia Federal dê um "ânimo" a categorias semelhantes que são lideradas pelo Partido dos Trabalhadores (PT), como a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Publicidade
Publicidade

Se serviços públicos forem paralisados haverá uma greve como uma "operação padrão".

Conforme Brasília relata casos relacionados a uma possível paralisação dos serviços feitos pela PF, o governo começa a discutir a ideia de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello.

Ministério Público Federal

Os procurados do Ministério Público Federal (MPF) fizeram uma crítica à posição da Polícia Federal em dirigir delegados para outras áreas, desmanchando a força-tarefa da Operação Lava Jato. Investigadores que trabalhavam exclusivamente para a PF foram mandados para a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvios de Verbas Públicas (DELECOR).

Agora, esses investigadores que fizeram parte da Lava Jato e da Operação Carne Fraca, que apurou crimes de corrupção envolvendo grandes frigoríficos brasileiros, farão investigações relacionadas a crimes econômicos.

Publicidade

Em nota, o MPF evidenciou que é muito necessário manter delegados para as investigações e que o andamento da Lava Jato não seria mais o mesmo, com resultados satisfatórios. Procuradores afirmam que a medida tomada significa grande retrocesso.

Lava Jato

Uma das maiores investigações que apura crimes de corrupção e que se dirigiu a grandes políticos e empresários, conseguiu recuperar para o Estado cerca de R$ 1 bilhão em apenas dez dias de trabalho. A Lava Jato chegou em grandes políticos, como o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que é réu em cinco processos na Justiça.

Empresários como Eike Batista foram condenados a prisão e até mesmo o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral cumpre pena. A maioria por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. #lavajato #Investigação Criminal