Nunca antes e em tão pouco espaço de tempo ao longo da história do Brasil, a população esteve tão polarizada quando o assunto em pauta é a política. Somado a esse contexto de inclinação das pessoas entre legendas de direita e esquerda, está acontecendo, exatamente neste momento, o maior período de crise econômica da nação.

Casos intermináveis de #Corrupção, empresários mesquinhos e líderes religiosos que tiram proveito nefasto dos rebanhos, fazem com que surja uma atmosfera de enfrentamento; sendo que, estão se levantando vozes em todos os segmentos, no denominado Brasil pós-golpe de #Michel Temer e sua trupe no Planalto Central.

Publicidade
Publicidade

Uma personalidade muito conhecida por tecer críticas sem papas na língua para com o atual governo, é o escritor e jornalista Paulo Coelho, nascido no Rio de Janeiro em 24 de agosto de 1947, o qual é aclamado internacionalmente.

O brasileiro leva sobre si o status de ser um dos autores modernos que mais conseguiu vender livros nos quatro cantos do mundo, e Coelho se aproveita de tamanho status para poder dizer que o que ocorreu no Brasil com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, foi um golpe de Estado impetrado pela oligarquia dominante.

E cada vez mais o posicionamento do escritor encontra eco, na medida em que outros cidadãos, quase que por unanimidade, são contrários ao que Temer vem impondo ao povo enquanto presidente da República.

Não é à toa, então, que conforme pesquisa divulgada pelo instituo “Ipsos”, 95% dos brasileiros dizem rejeitar Temer, pois não vêem nele nenhuma condição de dirigir a nação.

Publicidade

#Paulo Coelho resumiu de modo irônico, na sua rede social do Twitter, todos os últimos acontecimentos que dizem respeito ao governo de Temer e que fornecem combustível para 1.001 percepções e tomadas de opinião.

O escritor não consegue entender, na realidade, como os procuradores podem dar um reajuste salarial na casa dos 450% superior à inflação, aumentando ainda os próprios salários em 16%, o que nivela no mesmo patamar os ganhos dos promotores aos dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

O mesmo vem acontecendo no Pode Executivo, pois as autoridades governamentais planejaram encostar os servidores por 6 anos, ainda que Temer seja o 1º presidente do Brasil que foi alvo de denúncia formal por corrupção ativa e passiva.

Dono de uma ironia refinada, Paulo Coelho disse que “melhor, só na Coreia do Norte", quanto ao que está se desenhando no país. [VIDEO] Segundo Coelho, pelo que tudo indica, somente a “pedalada fiscal”, principal motivo para o afastamento definitivo de Rousseff, seja considerada o único crime hediondo em todo o território nacional.