Publicidade
Publicidade

Na manhã desta quinta-feira, 27, o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, foi preso em mais uma Operação da #Lava Jato. A 42ª fase da operação foi batizada de Cobra e cumpre três mandados de prisão temporária e mais onze mandados de busca e apreensão. Aldemir Bendine estava em Sorocaba, interior de São Paulo, quando foi preso nesta manhã.

Além do ex-presidente do BB e da Petrobras, também foram presos o publicitário André Gustavo Vieira da Silva, representante de Bendine, e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior. Os mandados são de prisão temporária e tem prazo de cinco dias, podendo ser prorrogada pelo mesmo tempo ou convertiva em prisão preventiva, quando o investigado passa a não ter prazo para deixar a prisão.

Publicidade

Nova fase da Lava Jato

Em depoimento de delação premiada, Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, citaram o fato de que Bendine teria solicitado e recebido R$ 3 milhões para auxiliar a empreiteira em negócios com a Petrobras. Segundo os dois delatores, ele recebeu o dinheiro, pago em espécie, através de um intermediário.

Nesta nova fase será investigado também operadores suspeitos de operacionalizarem o recebimento desses R$ 3 milhões, que foram interrompidos com a prisão de Marcelo Odebrecht, segundo informações da Polícia Federal.

Para o Ministério Público Federal, há evidências que indicam que em um primeiro momento o pedido de propina era no valor de R$ 17 milhões e foi realizado por Aldemir Bedine quando ainda era presidente do Banco do Brasil. O objetivo era viabilizar a rolagem da dívida de um financiamento da Odebrecht AgroIndustrial.

Publicidade

De acordo com os procuradores, "Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, executivos da Odebrecht que celebraram acordo de colaboração premiada com o Ministério Público, teriam negado o pedido de solicitação de propina porque entenderam que Bendine não tinha capacidade de influenciar no contrato de financiamento do Banco do Brasil".

Operação Cobra

Em junho deste ano, o juiz Sérgio Moro, autorizou a abertura de inquérito para apurar as denúncias contra Aldemir Bendine. Vale lembrar que o juiz Moro é o responsável pelos processos da Operação Lava Jato.

A 42ª fase da Operação Lava Jato foi batizada de Cobra em referência ao codinome dado ao principal investigado pelos pagamentos de propinas apreendidas no chamado Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht que aconteceu durante a 23ª fase da operação. #Operação Cobra