A dicotomia entre direita e esquerda no cenário político brasileiro no quesito troca de acusações deixa cada vez mais o debate horizontal e rasteiro. Para ser ainda mais simplista, a divisão do país entre PT e PSDB acaba deixando a situação pior. Um lado acusa e aponta o dedo para o outro tentando mostrar seus defeitos. Mas esquece de olhar para o próprio umbigo e vê o lamaçal em que está mergulhado. Pelo menos é o que é possível observar ao analisar os números do levantamento feito pela Revista Congresso em Foco sobre a quantidade por partido de parlamentares que estão sob suspeita e sendo analisados pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A Revista Congresso em Foco checou os políticos que estão com pendências no STF e constatou que não há uma grande diferenciação entre partidos de Direita, Esquerda, ou Centro.

Publicidade
Publicidade

O primeiro colocado nesse ranking pavoroso fica por conta do PP, que possui 35 parlamentares em suas bancadas sendo investigado. Empatados em segundo lugar estão os ex-parceiros, PMDB e PT, com 32 cada. Os tucanos do PSDB se encontram na quarta posição, com 26 parlamentares alvos do Supremo. Para fechar o top 5, o PR aparece com seus 19 deputados e senadores com contas a prestar junto ao STF.

Os cinco partidos citados juntos contemplam suas bancadas com 144 parlamentares sob investigação. Segundo o levantamento feito pela Revista Congresso em Foco, o total de políticos que ocupam cadeiras no #Congresso Nacional com pendências no Supremo Tribunal Federal é de 238. Ou seja, apenas os cinco líderes em investigações tomam quase 60% dos investigados.

Percentualmente

Os números inicialmente apresentados faziam referência a indicativos absolutos, porém, é importante, para termos uma noção mais clara de como estão manchadas as bancadas, analisar os números percentualmente.

Publicidade

Vale ressaltar que para fim de análise foram retirados os partidos nanicos desse comparativo inicial.

Líder em números absolutos com 35 investigados, o PP também está á frente quando vamos fazer uma análise percentual comparativa com o tamanho da bancada. 65% dos representantes do PP no Senado Federal e Câmara dos Deputados respondem à investigações no Supremo.

O segundo lugar em termos percentuais fica por conta do PDT. Com uma bancada não tão numerosa no Congresso, com 21 cadeiras, o partido aparece apenas na nono colocação em números absolutos, com 10 parlamentares investigados no Supremo. Porém, em termos percentuais, 48% da bancada do PDT tem pendências com o STF. Novamente empatado em 2º lugar, o PT aparece com 48% de sua bancada na Câmara e Senado sendo investigada. Vale ressaltar que a bancada do Partido dos Trabalhadores é a segunda maior do Congresso, atrás apenas do PMDB.

PSDB e DEM, dois dos partidos que mais fizeram oposição ao governo de Dilma Rousseff e correram para o lado do PMDB quando ele assumiu à presidência aparecem logo atrás.

Publicidade

Respectivamente, 46% e 45%.

Curiosamente, o PMDB, maior bancada do Congresso, despenca quando fazemos uma análise percentual dos números. Pelo tamanho de sua bancada, o partido ocupa o segundo lugar em números absolutos, mas quando o comparativo é percentual, ele cai para décimo lugar. Com 84 congressistas, sendo 62 deputados e 22 senadores, o partido possui 32 investigados, o equivalente a 38% da bancada.

Nanicos

Não podemos esquecer dos partidos nanicos, que também não passam em branco no STF. PSL e PTC possuem uma "bancada" com 100% de investigados. O primeiro é representado apenas por dois parlamentares, Alfredo Kaefer (PR) e Dâmina Pereira (MG). O segundo é o partido do inesquecível ex-presidente Fernando Collor de Melo. Todos os três citados são investigados no STF. #Dentro da política