O ex-presidente da República Luiz Inácio #Lula da Silva demonstrou grande preocupação aos seus correligionários com relação à popularidade do prefeito de São Paulo, João Doria. Nesta segunda-feira (3), ele fez fortes críticas, em se tratando do papel desempenhado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) a respeito da oposição que é feita pelo partido quanto ao governo de Geraldo Alckmin, do PSDB, em São Paulo.

De acordo com o próprio ex-mandatário do país, O PT estaria demonstrando "timidez" em relação à defesa da sigla e no trabalho como oposição ao governo do PSDB em São Paulo. Lula se reuniu com a bancada do PT na capital paulista e questionou o fato de o partido ter "aliviado" as críticas dirigidas a Geraldo Alckmin.

Publicidade
Publicidade

Alta popularidade de João Doria

O ex-presidente Lula expressou perante a bancada do PT e a todos os participantes presentes na reunião desta segunda-feira, que geralmente após os primeiros meses de mandato os governantes conseguem níveis satisfatórios de avaliação da administração pública. Porém, o realizar um enquete com os prefeitos petistas que estavam no encontro, Lula percebeu que o prefeito da maior cidade do país, João Doria, seria um claro exemplo de administrador que goza de altos índices de popularidade e aceitação perante a população paulistana.

O recado de Lula direcionado para o PT é que o partido passe a fazer uma oposição mais ferrenha ao governo do Estado de São Paulo, já que, segundo a opinião do ex-presidente, o governador Geraldo Alckmin estaria sendo "poupado" das crítica.

Publicidade

Por essa razão, a sigla petista deveria "dissecar" o governo paulista. Um outro motivo de grande preocupação para Lula é o fato de acreditar que os petistas não fizeram uma defesa contundente da sigla e que, inclusive, não saíram às ruas em defesa do PT.

Lula acredita que os petistas não deveriam ter vergonha de defender o partido. Segundo alguns participantes, Lula teria dito que "na dúvida e no aperto, a rua seria o melhor caminho". Já o anfitrião da reunião entre os petistas, o presidente estadual do PT, Luiz Marinho, afirmou enfaticamente que o partido deverá atuar de modo que adote algumas ações que sejam coordenadas e relativas à oposição ao governo de Geraldo Alckmin, em São Paulo.

Em uma espécie de "ameaça" às investigações da Operação Lava Jato, Marinho afirmou que os petistas deveriam sair às ruas em caso de condenação de Lula pela Justiça. O petista disse ainda que a Lava Jato estaria atuando com "dois pesos" em relação ao tratamento dado aos réus no âmbito da operação, no que ele considera como sendo algo "cada vez mais escandaloso". #Eleições 2018 #João Dória