Nesta quinta-feira (27), foi deflagrada a nova fase da Operação #Lava Jato, batizada de Cobra, se referindo ao codinome do ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine, que foi o alvo principal da ação. Enquanto ele foi preso e vive momentos de grande tensão, a sua ex-companheira, a socialite famosa e apresentadora de TV, Val Marchiori [VIDEO], foi descansar na praia.

#Val Marchiori ignorou as investigações onde foi constatado que Bendine burlou as regras do Banco do Brasil para favorecer a socialite. Ele conseguiu para ela um empréstimo de quase R$ 3 milhões para que ela pudesse comprar um Porsche. Porém, pelas normas do banco, ela não teria condições financeiras de arcar com esse empréstimo, mas Bendine deu um jeito.

Publicidade
Publicidade

Ele chegou a levá-la para Buenos Aires, na Argentina, em um jato de serviço exclusivo do banco e ficou junto com ela num hotel. Essa viagem era para a aquisição do Banco da Patagônia e não tinha sentido de Val Marchiori estar junto, na verdade, nem era permitido.

Praia

Val, que chegou a apresentar o programa da TV Bandeirantes "Mulheres Ricas", deu uma nota negando que tenha sido beneficiada com a ajuda de Bendine. Ela disse que esse assunto já havia sido comentado no passado onde nada foi provado contra ela.

Após toda essa turbulência, a apresentadora demonstrou que não estava nem aí para seu ex-companheiro e para os problemas que ela poderia ter com a nova fase da Lava Jato. Val Marchiori postou uma foto em rede social onde aparece num passeio de barco por Angra dos Reis, litoral do Rio de Janeiro.

Publicidade

Ela usou várias hashtags para mostrar a sua felicidade em estar na praia.

Sérgio Moro decretou prisão de temporária do ex-presidente do Banco do Brasil e aguada o avanço das investigações para decidir se manda ele para a prisão preventiva, o que é defendido por procuradores da República.

Dilma muda

A ex-presidente #Dilma Rousseff foi a responsável em indicar Bendine para tomar posse como presidente da Petrobras. Primeiro, ele ficou seis anos na presidência do Banco do Brasil graças ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que sempre confiou em seu trabalho. Dilma o indicou para a Petrobras, mesmo sabendo que Bendine foi alvo de várias polêmicas.

Dilma, que sempre combateu as denúncias contra Lula, dessa vez preferiu ficar em silêncio e não comentar a prisão de Bendine.

Ele é acusado de ter recebido enorme quantia de propina da Petrobras por intermédio de contratos fraudulentos com a construtora Odebrecht. Um pouco antes do recesso dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), um de seus advogados tentou tirar as investigações contra ele do juiz Sérgio Moro, mas foi barrado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF.