O procurador da República e um dos coordenadores da força-tarefa da Operação #Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, utilizou novamente as redes sociais para sugerir um desafio ao presidente Michel Temer. Nesta segunda-feira (10), ele criticou a atitude de Temer de tentar de todas as formas escapar do julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Para Lima, a acusação feita pela Procuradoria-Geral da República deveria seguir para o #STF e tudo depende da autorização da Câmara dos deputados.

Pelo Facebook, o procurador da Lava Jato reforçou que não tem como aceitar um presidente corrupto, que recebeu propina, estar decidindo pelo bem do país.

Publicidade
Publicidade

E lançou o desafio. De acordo com ele, se Temer e seus companheiros são inocente e não fizeram nada de errado, que enfrentem o Judiciário e provem isso lá na Corte. É lamentável que os parlamentares tentem abafar a denúncia para livrar o presidente, afirmou Lima.

Crítica a deputado

O procurador da República também criticou o deputado federal do PMDB, Carlos Marun (MS). O deputado chegou a fazer manobras para trocar os deputados na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e na visão de Marun, aquilo era uma situação correta. Ele próprio foi incluído como titular na comissão.

Lima criticou duramente o deputado dizendo que ele deveria honrar os votos que recebeu da população. É indigno ele ter esse tipo de atitude, disse o procurador. "Mas, 2018 está chegando", ressaltou Lima, lembrando das próximas eleições.

Publicidade

Lima tem usado as redes sociais para colocar a sua opinião e pressionar os governantes. Ele chama a atenção do povo para o que está acontecendo na política brasileira. Nos últimos dias, ele tem usado a seguinte hashtag: #deixeoSupremojulgar. Lima quer que os deputados que estão fazendo de tudo para livrar #Michel Temer tenham fracassos nas próximas eleições e sejam punidos com a indignação do povo. O procurador saiu em defesa de Rodrigo Janot que tem sido criticado por Temer.

Decisão da Câmara

O presidente Michel Temer afirmou que respeitará qualquer decisão tomada pela Câmara dos Deputados. Ele deu a declaração, nesta terça (11), durante o anúncio, no Palácio do Planalto, da linha de crédito do Banco do Brasil para o plano safra deste ano.

Segundo o presidente, o momento agora é de não ter receios e sim, respostas rápidas para tudo. Ele comentou que é momento do Brasil avançar e tentou passar otimismo para as pessoas: "Vamos seguir em frente".