Após o anúncio na última terça-feira, dia 18, de que o juiz federal Sérgio #Moro havia decidido bloquear os bens do ex-presidente #Lula, o Partido dos Trabalhadores (PT), do qual Lula é a principal figura política, emitiu uma nota falando sobre o caso.

No documento, o PT classificou a medida de Moro como uma “decisão mesquinha”. Para o partido, o juiz propagou mentiras, contradisse sua própria sentença e decidiu “vingar-se de um inocente”. A nota também afirma que a decisão de juiz priva Lula de sua casa e de seus meios de subsistência.

A nota também afirma que Lula “é vítima da mais avassaladora perseguição judicial, midíatica e política” já vista no Brasil.

Publicidade
Publicidade

Em outra nota, os advogados de Lula também falaram sobre a decisão, que classificaram como “ilegal e abusiva”. Em sua justificativa, os advogados do ex-presidente afirmam que não tiveram acesso ao documento, ficando a par da notícia apenas após sua divulgação pela imprensa.

Os defensores de Lula também contestaram a validade legal da decisão de Moro, afirmando que a medida prejudica a subsistência do presidente e de seus familiares. Antes, em outra nota, a defesa do ex-presidente já havia criticado a condenação de Lula, que sentenciou Lula a 9 anos e seis meses de prisão. O recurso agora será julgado em segunda instância pelos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. #Justiça