O juiz federal paranaense Sérgio Moro negou, nesta terça-feira (11), um pedido feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. Os advogados do petista queriam que fossem incluídos no processo do tríplex depoimentos de 11 testemunhas de um outro processo em que o ex-presidente responde por ter sido beneficiado com propina da construtora Odebrecht.

Moro recusou o pedido da defesa e disse que os depoimentos não têm relevância no julgamento da ação. Conforme palavras do juiz, tudo já está pronto para a sentença e não há necessidade e nem importância em acrescentar esses depoimentos agora.

A sentença do magistrado pode ser dada em breve.

Publicidade
Publicidade

O juiz poderá absolver ou condenar o petista. A Justiça Federal do Paraná acredita que isso será feito no fim de semana [VIDEO].

Os depoimentos que a defesa de Lula quer incluir, o que foi negado por Moro, mostram, na visão dela, hipóteses acusatórias comuns a ação penal do tríplex. De acordo com os advogados de Lula, emprestar provas de outros processos é uma decisão apoiada pelo Superior Tribunal de Justiça.

Lava Jato

Além dessa ação contra o ex-presidente Lula, Moro tem mais três prontas para julgar na Operação Lava Jato. A mais polêmica é essa de Lula, que está sendo aguardada por muitas pessoas.

As outras são contra o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que pode ter mentido para a Justiça e está sujeito a perder os benefícios de sua delação premiada, a do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e de Renato Duque, ex-dirigente da estatal petrolífera.

Publicidade

O caso de Lula é o mais urgente. O petista é acusado de receber propina da construtora OAS através da compra e reforma de um tríplex na cidade Guarujá, litoral de São Paulo.

O ex-presidente da construtora, Léo Pinheiro, informou em seu depoimento que quando a empreiteira assumiu a obra, ele foi informado que a unidade estava reservada para Lula. Ele afirmou que o tríplex é de Lula, mas a defesa do ex-presidente nega.

Outras sentenças

Uma outra sentença importante que o juiz proferirá, em breve, tem a ver com o acordo de delação do ex-diretor Paulo Roberto Costa em uma ação que envolve sua família. O Ministério Público Federal (MPF) disse ao juiz que Costa e sua família mentiram à Justiça em relação a retirada de dinheiro e documentos do escritório de advocacia de Costa durante uma ação da Polícia Federal (PF).

A defesa deles afirmou que eles haviam dito que tinham tirado material de lá e que não mentiram. #operaçãolavajato #Sergio Moro