Patrícia Lélis já havia ficado famosa em todo o país ao denunciar um grave caso de denúncia de assédio sexual. Ela acusou ninguém menos que o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) de ter cometido a tentativa de assédio.

No entanto, Marco Feliciano negou e documentos alegando suposta insanidade mental de Patrícia, que é jornalista, chegaram a ser divulgados nas redes sociais. Achou que Lélis sumiria depois disso? Nada disso.

A ex-integrante do PSC "ressurgiu das cinzas" e agora faz acusações contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC de São Paulo), filho do famoso, polêmico e também deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Publicidade
Publicidade

Suposta ex-namorada de Eduardo Bolsonaro, jornalista Patrícia Lélis vai à polícia e registra queixa contra deputado

De acordo com informações do site ‘’RD1 Audiência’’, Patrícia Lélis decidiu registrar um boletim de ocorrência contra o seu suposto ex-namorado. Patrícia diz que voltou a sofrer grandes ataques de haters e pessoas machistas.

A jornalista acusa as pessoas que fazem esses ataques de serem apoiadores de Bolsonaro e chama os críticos de "fascistas", além de serem "seguidores de Eduardo e sua turma". Em uma postagem no Instagram, que mostra uma foto do BO, Patrícia diz que o próprio deputado #Eduardo Bolsonaro teria feito ameaças diretas à ela.

Bolsonaro nega relacionamento com Patrícia, mas jornalista diz que os dois namoraram

A polêmica envolvendo as duas personalidades começou há pouco mais de um mês.

Publicidade

Patrícia diz que o seu suposto ex-namorado teria dado a entender que ela hoje estava usando roupas sensuais para se encontrar com homens.

Em compensação, o filho de Jair chegou a gravar um vídeo negando que qualquer dia tenha ficado com Lélis. A ex-integrante do PSC, por sua vez, diz que tudo é a mais pura verdade.

Lélis alega que deputado federal tinha comportamento abusivo com ela

A mulher, que já infernizou a vida de Marco Feliciano, contou ter tido um relacionamento de abuso com o filho do político. Patrícia diz que, através das redes sociais, existiram ameaças e também injúrias raciais.

No entanto, ela alega que isso também teria ocorrido pessoalmente e que Eduardo Bolsonaro teria ido aos locais que ela frequenta, como faculdade e academia. Ela diz que esse comportamento a fez sair de Brasília por alguns dias, pois teria ficado com medo de sua integridade física ser afetada.

O caso se tornou tão grave, que, segundo informações do ‘’RD1 Audiência’’, teria sido levada para o Supremo Tribunal Federal (STF). Isso porque o deputado federal tem foro privilegiado. #PatriciaLelis #Crime