O presidente Michel Temer passou a noite com seus ministros para avaliar o impacto da apresentação da defesa contra a denúncia de corrupção na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

O relator deve apresentar o seu parecer até segunda-feira (10) e o governo teme que ele seja desfavorável ao presidente. No PSDB, cresceu a pressão pelo desembarque do governo.

As chances da votação do plenário ficar somente para agosto aumentaram, mas os governistas acham que a votação não pode ser adiada por um longo tempo, pois pior ficaria o cenário. Temer tentou encurtar prazos mandando a defesa para a Comissão de Constituição e Justiça e tenta ter o apoio mínimo necessário na Câmara cobrando a ajuda de ministros.

Publicidade
Publicidade

A reunião ministerial foi convocada de última hora, na qual 23 ministros atenderam o chamado do presidente #Michel Temer. A reunião era para tratar assuntos do governo, um preparativo para a viagem que Michel Temer fará à Alemanha. O presidente quer que enquanto ele estiver fora do Brasil, os ministros trabalhem para convencer os deputados a rejeitarem a denúncia contra ele na Câmara.

No Congresso, o dia foi de movimentação intensa com a apresentação da defesa de Michel Temer. Este documento foi entregue pelos advogados à Comissão de Constituição de Justiça. Para os governistas, a defesa é extremamente consistente e pode atrair muitos votos a favor do presidente Michel Temer.

O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) diz que o documento possui muitas verdades e está com uma defesa bem montada, o que pode atrair novos votos a favor de Michel Temer.

Publicidade

Com a defesa entregue, é aberto um prazo de cinco sessões para votação do relatório final na Comissão de Constituição e Justiça. O relator da #ccj diz que está analisando a defesa e que entregará o parecer na segunda.

Há um acordo para uma vista coletiva de duas sessões na qual é o prazo maior para os deputados analisarem o relatório. Cada um dos 132 integrantes da CCJ terão 15 minutos para se pronunciarem, além do relator do processo e o advogado de Michel Temer. A fase de debate durará 40 horas, do dia 14 até o dia 17 de julho.

Os governistas querem votar o mais rápido possível para encerrar de vez esta discussão, porém a oposição não tem pressa.

Um dos principais pilares do governo que podem salvar ou derrubar o presidente Michel Temer é o PSDB.

Hoje a CCJ voltará a se reunir à Comissão para a primeira etapa do processo de aceitação ou rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer. #denuncia de corrupção