Publicidade
Publicidade

O general Eduardo Villas Boas utilizou as redes sociais para fazer comentários em tom severo sobre o que está acontecendo com o aperto orçamentário que o exército está passando. O comentário foi enviado nesta quinta-feira (3) no Twitter do #Comandante.

De acordo com documentos retirados do Estado, o dinheiro disponível atualmente nos cofres do Exército brasileiro é insuficiente. Esse dinheiro não consegue chegar até o final do ano, tendo o Exército recursos que só conseguem chegar até o mês de setembro.

A indignação do general Villas Boas com o Governo e com Temer

Essa indignação vem desde o início do ano, quando o Exército foi convocado para realizar algumas tarefas: como na revolta do Espírito Santo, quando os policiais militares resolveram entrar em greve; no mês de junho, quando foram convocados para auxiliar na reforma das cidades atingidas pelas inundações em Pernambuco, e também para as ruas na época do carnaval Rio de Janeiro.

Publicidade

No entanto, em todas as situações, as cifras monetárias, até agora, não foram restituídas ao Exército.

O comandante também enfatizou os problemas que o Exército vem passando e a difícil imposição do governo com relação aos gastos destinados aos militares. De acordo com alguns militares, a instituição está quase estacionada, como alguns programas estratégicos do Exército: tendo como exemplo o Sisfron, Sistema de Vigilância de Fronteiras.

O que deixa os militares mais indignados é por conta de o governo federal impor diversas missões ao Exército em vários campos, todavia o time econômico do presidente #Michel Temer não envia os recursos indispensáveis para a execução das tarefas. A última delas aconteceu no Rio de Janeiro, com o envio de mais militares para dar mais garantia de segurança ao povo carioca.

Publicidade

Exigência de Temer piora ainda mais a situação do exército

Na época em que o Exército foi para as ruas no Rio de Janeiro, por exigência do presidente Michel Temer [VIDEO], que se empenha em melhorar a segurança pública do Estado, utilizando-a como exemplo para mostrar eficácia na sua gestão, o exército gastou incríveis R$ 5 milhões. Estima-se que por dia o trabalho de cada batalhão militar no Estado tenha a despesa de R$ 1,2 milhão.

E foi através desses gastos, que o Exército vem sofrendo, que o #general do Exército Eduardo Villas Boas se mostrou indignado e escreveu no perfil do seu Twitter mensagens direcionadas ao governo federal e ao presidente Michel Temer, afirmando que “há limites” nas exigências feitas por parte do governo federal.

“Conduzo seguidas reuniões sobre a gestão dos cortes orçamentários impostos ao @exercitooficial. Fazemos nosso dever de casa, mas há limites”, afirmou Villas Boas no perfil do seu Twitter.