Publicidade
Publicidade

Um dos mais atuantes procuradores da República e coordenador-geral da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, se manifestou, de modo incisivo por meio das redes sociais, em relação às ações que estão sendo implementadas no Congresso Nacional, mais especificamente, na Câmara dos Deputados. Nesta sexta-feira (11), o procurador da #Lava Jato se expressou através de seu perfil no Facebook, ao afirmar contundentemente que "políticos estariam querendo ganhar no 'tapetão'm de forma que queiram impedir que a as pessoas possam buscar transformação".

Ainda através de sua rede social, o procurador Deltan Dallagnol postou a seguinte frase: #NãoReformaTapetão.

Publicidade

As críticas do coordenador-geral da Operação Lava Jato, se referem à supostos acordos que pudessem ser considerados "espúrios", em se tratando da implementação da #Reforma política, que segue sob tramitação em comissão da Câmara dos Deputados.

Valor do fundo partidário

Um dos principais motivos que levaram o procurador Deltan Dallagnol, a se expressar sobre as negociações para implementação da reforma política no Congresso, se deve à proposta apresentada pelos parlamentares, para que incrementem os valores inerentes ao fundo partidário, em quantias consideradas extremamente vultosas, cujo aumento poderá constar na ordem de R$ 3,6 bilhões.

O procurador Deltan Dallagnol afirmou também enfaticamente que "a sociedade estaria cansada de ser roubada e que estaria, no entanto, colocando todas as suas esperanças em pessoas que seriam, na verdade, mais comprometidas com o interesse público".

Publicidade

Dallagnol demonstrou todo descontentamento com o fundo partidário bilionário, ao relatar que "ao invés dos parlamentares proibirem produções de marketing televisivo consideradas caríssimas e valorizarem o debate das ideias, decidiram pelo contrário, ao propor a expansão da quantia destinada para o fundo partidário, por meio da reforma política que segue sob tramitação no #Congresso Nacional, para um valor correspondente a 0,5% do orçamento federal, em tempos difíceis, de crise no país e principalmente, com o aumento de impostos".

Ele ressaltou ainda que a população brasileira, em se tratando de cerca de 80%, em busca de renovação política, já que os brasileiros querem votar em pessoas novas. Dallagnol considera ainda que o chamado "Distritão", será responsável por eleger políticos que detenham maior poder econômico em suas campanhas, além de favorecer o ingresso de celebridades na política, numa crítica velada ao sistema eleitoral que passa a ser discutido na Câmara dos Deputados.