Publicidade
Publicidade

Com uma imagem positiva entre os partidos políticos [VIDEO], o atual prefeito de São Paulo, João #Doria, começa a ser disputado para integrar a lista de candidatos à eleição presidencial marcada para o ano que vem. No início desta semana, o presidente Michel #Temer chegou a dizer que o seu partido, o PMDB, "está de portas abertas" para essa candidatura. Mas o DEM também pode atravessar o caminho.

No caso do DEM, uma das alternativas viáveis seria incluir João Doria em uma chapa ao lado de políticos do Nordeste, como o atual ministro da Educação, Mendonça Filho e ACM Neto, prefeito de Salvador. Em troca, Doria emprestaria apoio às prováveis candidaturas de Rodrigo Maia ao governo do Rio de Janeiro e de Ronaldo Caiado em Goiás.

Publicidade

No PSDB, a situação de Doria é bastante incerta. Aliado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-empresário não deve topar participar das eleições caso tenha que enfrentar o seu "padrinho" político. Alckmin foi o grande fiador da campanha de Doria à prefeitura, em 2016.

Mas Geraldo Alckmin não tem a garantia de que será ele o escolhido pelo PSDB a tentar o Planalto, como ocorreu em 2006, quando perdeu para Lula. Sem Alckmin, Doria pode ter o caminho livre para disputar o pleito - possivelmente por outro partido.