"Milhões de brasileiros, depois de 2 de agosto, quarta-feira, poderiam dizer sobre as ##notícias quentes de que o “circo está armado” ou que o picadeiro está pronto para a apresentação de palhaços, ilusionistas e da mulher que engole a espada, muito embora todas essas profissões circenses, as quais existem desde que o mundo é mundo, sejam dignas de todo o respeito.

Mas qual o motivo da correlação de um grande circo repleto de atrações, as mais inesperadas possíveis, com a data do dia 2 de agosto? É simples! No dia 2 aconteceu a tão esperada e controversa votação na Câmara dos Deputados, em Brasília, a respeito da denúncia contra o presidente da República, Michel Temer.

E foi justamente no transcurso da votação, quando a deputada Shéridan Oliveira, filiada ao #PSDB–RR, foi a 8ª deputada convocada por Rodrigo Maia, do DEM–RJ, presidente da Câmara, para votar na acusação que pairava sobre Temer, que aconteceu um comportamento sexista entre os parlamentares ali presentes, envolvendo o nome de Shéridan.

Publicidade
Publicidade

A política, que não estava presente na votação, foi chamada em alto e bom som de “gostosa” por um outro parlamentar, assim que Maia a convocou.

O presidente da Câmara parece ter feito que não ouviu o adjetivo lançado contra a deputada, repetindo o nome da representante de Roraima para só depois verificar definitivamente que ela não estava no recinto.

A TV Câmara não conseguiu ou não quis mostrar qual foi o homem que se referiu a Shéridan Oliveira, de 33 anos e que já foi ex-primeira-dama do Estado de Roraima, como “gostosa”. Atualmente, a roraimense ocupa o cargo de deputada federal, tendo sido eleita em 2014.

É fato que Shéridan é uma mulher bonita e que, mesmo tendo duas filhas, revela que cuida da saúde e do físico, pois os seus 61 quilos muito bem distribuídos na sua altura de 1,74 m.

Publicidade

Por outro lado o objetivo deste artigo não é avaliar os atributos físicos da parlamentar, assim como fez um colega deputado qualquer da mesma, antes, porém, Shéridan parece ser mais um desses políticos que se assemelham a um livro de pouco valor, que tem capa bonita e zero de conteúdo.

Sim, isso mesmo! A bela Shéridan está respondendo a duas ações paralelas sob a acusação de improbidade administrativa, ações essas que tramitam no Tribunal de Justiça de Roraima.

Como se não bastasse, o ex-marido da deputada, José de Anchieta Júnior, que é pai de sua filha mais nova e que já foi governador de Roraima, também é réu nas duas ações citadas, ou seja, é o que pode ser chamado de “processo em família”.

Shéridan, por sua vez, sempre repete o chavão que no tempo oportuno irá provar que é inocente e que tudo o que está acontecendo com ela não passa de mais uma acusação política sem fundamento.

Para quem já se esqueceu, Shéridan estava na contagem dos 367 parlamentares que contribuíram pelo “sim” no pedido de #Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no dia 17 de abril de 2016.

Publicidade

Inclusive, ela foi a 1ª das 53 deputadas presentes naquela ocasião a externar o voto pelo impeachment de Dilma, [VIDEO] sob a justificativa de que os brasileiros tiveram a esperança roubada pela ex-presidente e, por isso, ela votava pelo afastamento de Dilma em nome do povo brasileiro e pelo Estado de Roraima.

Posteriormente, Shéridan explicou o seu voto dizendo que Dilma se deixou envolver pela corrupção generalizada, mal endêmico do Brasil, o que era uma pena, ainda mais por ela ser uma mulher que não teve a ousadia de mudar a história.

A título de curiosidade, Shéridan nasceu em Boa Vista e deu à luz aos 16 anos a sua filha Júlia, que tem 15 anos de idade, fruto de um romance com o seu 1º namorado. Já no ano de 2004, a deputada se casou com Anchieta Júnior, 19 anos mais velho do que ela, e que é engenheiro de profissão e político por opção.

Pode-se dizer ainda que a conclusão da encenação do circo do primeiro parágrafo é que nenhum show ilusionista consegue resistir por muito tempo aos fatos da história.