O caricato deputado federal Wladimir Costa (SD-PA), que já acumula diversas polêmicas em seu histórico como parlamentar, deve ver sua situação complicar no Conselho de Ética da #Câmara dos Deputados. Acusado de assédio sexual a uma repórter da rádio CBN, o integrante da bancada do Solidariedade responderá em breve a uma representação contra si no órgão da Casa Legislativa responsável por julgar os atos indecorosos dos deputados.

Dias antes da votação que decidiria o futuro de Michel Temer à frente do Executivo nacional, Wladimir Costa resolveu mostrar seu apoio ao peemedebista apresentando uma "tatuagem" em seu obro. Assim que surgiu a imagem do deputado, ela rapidamente viralizou nas redes sociais e causou, obviamente, muita polêmica.

Publicidade
Publicidade

Diversos meios de comunicação foram tentar descobrir mais sobre a tatuagem, até que se levantou a hipótese, por diversos especialistas, que a dita tatuagem seria de henna. Algo que o parlamentar negou veementemente.

Posteriormente, a repórter da CBN pediu que o deputado mostrasse a "obra de arte". Ao passo que ele respondeu que para ela só mostraria o corpo completo.

A repórter não deixou barato e denunciou o assédio do deputado. Como resposta, diversas críticas contra o polêmico deputado surgiram. Mas a situação contra ele pode piorar ainda mais. Um dos seus desafetos na Câmara, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), deve entrar em breve com uma representação por quebra de decoro contra Wladimir Costa. #Dentro da política