Publicidade
Publicidade

Em uma entrevista concedida na noite da última quinta-feira (10), o vereador paulista pelo PT, Eduardo Suplicy, foi o convidado do prefeito da cidade de São Paulo [VIDEO], João Doria (PSDB-SP), em um programa transmitido ao vivo pelas redes sociais. O programa de entrevistas apresentado pelo prefeito da maior cidade do país, "Olho no Olho", geralmente, traz personalidades que possam discorrer sobre diversos temas, não somente de caráter municipal, mas também, em relação ao cenário da realidade política nacional.

Entretanto, o convidado de "honra" do prefeito de São Paulo, foi justamente um político considerado da alta mais "tradicional" do Partido dos Trabalhadores (PT), sigla "arqui-rival" da administração de João Doria na capital paulista.

Publicidade

Pedidos de Suplicy sobre Lula e Dilma

Durante a entrevista, o prefeito João Doria discorreu sobre vários assuntos com o vereador petista. Porém, a velha rivalidade entre PT e PSDB, não poderia acabar ficando de "fora". O próprio vereador Eduardo Suplicy teria questionado o prefeito João Doria, em relação às críticas feitas pelo gestor da maior cidade do país, direcionadas ao ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva e também à ex-presidente da República, Dilma Rousseff.

O vereador chegou a fazer um pedido "inusitado" ao prefeito, para que ele parasse de "xingar" os ex-presidentes Lula e Dilma. Entretanto, Doria justificou as críticas dirigidas aos ex-mandatários petistas, em se tratando de divergências com as lideranças do PT, mas garantindo que as críticas não possuíam a intenção de se propagar ou incitar o ódio.

Publicidade

Suplicy questionou Doria se seria "admissível que uma pessoa se referisse a uma mulher, como as que estariam naquele momento os assistindo, como 'anta'?" Doria respondeu, de modo contundente que "não seria a melhor referência, mas que fez isso em alguns momentos de bom humor, o que também não tiraria o espírito crítico, em relação à administração de Dilma Rousseff".

Já em relação ao ex-presidente Lula, chamado por Doria, algumas vezes de "mentiroso" e de "sem vergonha", Suplicy argumentou que os ataques dirigidos a Lula e Dilma, acarretaram a reação de petistas, como o episódio da jogada de ovos no prefeito, na Bahia. Doria afirmou a Suplicy que "não acredita na honestidade do ex-presidente Lula e nem perguntaria a Suplicy sobre isso, para que pudesse evitar qualquer constrangimento, mas que não faz isso, de modo que tenha propósito de incitar o ódio ou mesmo, às agressões".

Após ambos expressarem sua divergências relativas a vários temas "espinhosos" que envolvem a administração de São Paulo e também, em se tratando da conjuntura política nacional, num momento de bastante "descontração", o prefeito paulistano pediu que Eduardo Suplicy desse uma "palhinha" musical para animar o programa que é transmitido semanalmente através do perfil de João Doria no Facebook.

Publicidade

O vereador petista prontamente atendeu ao pedido e começou a "cantar" a clássica música "Blowin in the wind", de Bob Dylan. #prefeitura #João Dória