Publicidade
Publicidade

Nesta terça-feira (15), a 3ª turma do STJ – Superior tribunal de Justiça, manteve de forma unânime a #Condenação do político #Jair Bolsonaro do (PSC-RJ) em função das ofensas feitas a deputada #Maria do Rosário do PT-RS. Para quem não lembra, o político já havia sido condenado em 2015 a pagar uma indenização de R$ 10 mil a deputada do PT por danos morais, mas recorreu.

Segundo a decisão do STJ, o político falastrão deverá se retratar em público através de jornais, Facebook e no Youtube.

Maria do Rosário comemorou em sua página no Facebook após a decisão do STJ. “É uma vitória de todas as mulheres, nós vamos ficar mais fortes, para que nenhuma sofra violência no Brasil”, publicou.

Publicidade

Bolsonaro disse em 2014 que Maria do Rosário não merecia ser estuprada por ser “feia”

Em 2014, mais precisamente em 9 de dezembro, Bolsonaro disse no plenário da câmara que Maria do Rosário não mereceria ser estuprada por é “muito feia”, não somente isto ainda chamou ela de “mentirosa, deslavada e covarde”. Esta declaração o tornou réu no STF – Superior Tribunal Federal. No dia seguinte o deputado continuou a afirmação e disse que jamais a estupraria por ela não faria o seu gênero.

A sessão de hoje foi desfavorável a Jair Bolsonaro

A relatora do caso, a ministra Nancy Andrighi, durante o julgamento realizado hoje, votou não contra o recurso requerido por Jair Bolsonaro [VIDEO], dizendo que, ao pronunciar que Maria do Rosário não mereceria ser estuprada, o político “atribuiu ao crime a qualidade de prêmio, de benefício à vítima”.

Publicidade

Dando continuidade, a ministra protestou contra uma das primordiais teses da defesa, onde o deputado não poderia ser responsabilizado em virtude da imunidade parlamentar. Porém de acordo com o Artigo 53 da Constituição de 88, "Os deputados são invioláveis por suas opiniões, palavras e votos no exercício das funções do mandato."

A ministra falou ainda que a expressão 'não merece ser estuprada' constitui uma expressão vil que menospreza a dignidade de qualquer mulher, como se uma violência brutal pudesse ser considerada uma benesse, algo bom para acontecer com uma mulher.

Bolsonaro afirmou hoje que irá recorrer ao STF, pois alegou que a Maria do Rosário a chamou de estuprador e defendeu ainda o estuprador Champinha.

Então meus amigos, no final caberá ao STF, onde o político já é réu decidir se ele vai ser condenado ou absolvido.

Esta notícia foi útil? Siga o iNews, comente e compartilhe!