Procurador-geral da República, Rodrigo Janot apresentou nesta sexta-feira, dia 25, denúncias contra os senadores Renan Calheiros (#PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN). Também foram incluídos no mesmo inquérito o ex-presidente e ex-senador José Sarney; o ex-presidente da Transpetro, Sergio Machado; o ex-presidente da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis; e Luiz Fernando e Nelson Maramaldo, da NM Engenharia. As informações foram veiculadas pela Agência Brasil.

Todos os denunciados são acusados dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro que teriam sido praticados em desvios de verbas de contratos firmados com a Transpetro, empresa subsidiária da Petrobrás.

Publicidade
Publicidade

A denúncia apresentada ao Superior Tribunal Federal (STF) é parte dos desdobramentos provenientes das investigações da Operação #Lava Jato. Agora, cabe ao ministro Edson Fachin, relator do processo da Lava Jato no Superior Tribunal Federal (STF), analisar o inquérito para decidir se acata a denúncia apresentada por Janot.

A denúncia partiu de informações descobertas após o acordo de delação premiada firmado entre o Ministério Público e Luiz Fernando e Nelson Maraldo. De acordo com a denúncia, os senadores teriam requisitado o pagamento de propinas a Sergio Machado, da Transpetro, que teria repassado a ordem de realizar o pagamento aos responsáveis pela NM Engenharia em troca de vantagens empresariais.

Segundo a reportagem, Sarney teria contribuído com o esquema ao manter Machado como presidente da Transpetro.

Publicidade

As operações teriam acontecido entre 2008 e 2010 para Jucá, Calheiros e Garibaldi. Já Raupp teria feito semelhante pedido em 2012, em verba que teria sido usada para custear despesas da campanha do ex-deputado federal Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo.

Ainda de acordo com a denúncia de Janot, o repasse da verba teria sido realizado diretamente ao PMDB como parte de doações. No documento, Janot solicitou que os senadores respondam por corrupçao passiva e lavagem de dinheiro enquanto os executivos devem responder por corrupção ativa, caso a denúncia seja aceita. Janot também solicitou que os acusados sejam condenados a devolver o dinheiro desviado para os cofres da Transpetro.

Acusados negam denúncias

Procurados, os acusados negaram as acusações apresentadas por Janot. Advogado de Romero Jucá e José Sarney, Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, afirmou que a denúncia de Janot é “uma demonstração clara de um posicionamento de um procurador em final de carreira”.

Publicidade

Já Renan Calheiros se manifestou em nota afirmando que a denúncia “é política” e de que os réus (Luiz Fernando e Nelson Marado) o acusam “sem provas”, afirmando estar certo de que as denúncias do “delator mentiroso” serão arquivadas.

Também por nota, Valdir Raupp negou as acusações, declarando que “jamais” pediu doações eleitorais a diretores de Transpetro, destacando que não se candidatou a nenhum em 2012 e 2014. Outro que utilizou uma nota para se defender foi o senador Garibaldi Filho, que afirmou que usará a mesma denúncia de Janot em sua defesa. Ele também afirmou que a denúncia “ofende sua honra” e “criminaliza a política brasileira”.

Calheiros e Jucá já foram denunciados anteriormente; Raupp é réu

Vale notar que alguns dos acusados já estão sendo investigados pela Lava Jato por outras denúncias. Ex-presidente do Senado, Renan Calheiros já teve uma denúncia apresentada, mas ainda aguarda decisão dos magistrados. A mesma situação é vivida por Romero Jucá, que na última semana teve uma denúncia apresentada após investigações oriundas da Operação Zelotes. Valdir Raupp já teve uma denúncia acatada e é réu, acusado de ter recebido R$ 500 mil em doações ilegais para sua campanha ao Senado, em 2010. #Rodrigo Janot