Michel #Temer respira aliviado. Depois de algumas semanas de muita preocupação, valeu a pena todo o seu esforço e toda a sua articulação política. Nesta quarta-feira, dia 2, o plenário da Câmara dos Deputados decidiu arquivar a denúncia de corrupção passiva imputada ao presidente, fruto de uma peça preparada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a partir da delação dos empresários da J&F.

Caso a denúncia tivesse atingido dois terços dos votos da Câmara, ela teria prosseguimento ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ameaçaria a continuidade de Temer no cargo. Com a absolvição, o peemedebista segue intacto no cargo até o final do seu mandato, previsto para o final de 2018.

Publicidade
Publicidade

A partir de agora, o presidente deve voltar a concentrar esforços para a aprovação das reformas que julga importante para o avanço econômico do país.

O placar final da votação desta quarta, que teve uma sessão de aproximadamente 13 horas, indicou vitória tranquila ao Palácio do Planalto - embora aliados de Temer [VIDEO] esperassem uma margem maior de apoio. Os votos sim, pelo arquivamento da denúncia, somaram 263 deputados, contra 227 que optaram pelo "não". Foram 19 parlamentares ausentes e mais 2 abstenções.

Como já era previsto antes do início da votação, Temer optou por fazer um pronunciamento à nação após sua mais importante vitória desde que substituiu Dilma Rousseff, destituída pelo processo de impeachment, em agosto do ano passado. No entanto, o presidente analisou o resultado vindo da Câmara "não como uma vitória pessoal, mas uma vitória da democracia e do estado de direito".

Publicidade

"Venho repetindo com frequência que o poder da autoridade vem da lei. Fugir daquilo que a Constituição Federal determina é violar a lei. É óbvio, portanto, que todos devem obedecer à lei e à Constituição. São esses princípios de direito que nos garantem relações institucionais e pessoais. Esses princípios venceram, nesta quarta, com maioria na Câmara dos Deputados", salientou.

De imediato, Temer sinalizou que fará dessa vitória na Câmara um trampolim para angariar mais apoio tendo em vista nos projetos que deseja aprovar entre os parlamentares. Ele usou o espaço no pronunciamento pós-vitória para fazer algumas propagandas daquilo que entende que a sua gestão já conseguiu desde que assumiu o posto.

"Já começou o crescimento, e ele virá ainda mais. Erram todos aqueles que acham que os brasileiros são ou estão divididos. Não estão. Somos todos filhos da mesma mãe, da mesma nação, e temos os mesmos direitos e os mesmos deveres. O meu governo tem como objetivo claro fazer o Brasil ficar cada vez melhor", colocou.

Publicidade

Apesar de "balançar" no cargo desde o vazamento do áudio-bomba de Joesley Batista, empresário da JBS, Temer tem superado os obstáculos para manter o mandato. Ainda no primeiro semestre, livrou-se da acusação de abuso de poder econômio durante a candidatura de 2014 ao lado de Dilma Rousseff. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na ocasião citada, votou de maneira favorável à continuidade de Temer.

Ainda durante o comunicado, o peemedebista garantiu estar comprometido em construir um Brasil "pacificado, sem qualquer tipo de ódio ou rancor entre os brasileiros", pregando um claro de discurso de união a quem lhe ouvia.

Veja, na publicação que segue abaixo, a íntegra da manifestação do presidente Michel Temer nesta quarta-feira, logo após obter a importante vitória dentro do plenário da Câmara dos Deputados, que arquivou a denúncia de corrupção passiva oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot - o vídeo também está no Facebook "Agora no Planalto".

#Presidente Temer