Houve um tempo que Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] e qualquer outro petista não se preocupava com o deputado federal e pré-candidato à Presidência da República, #Jair Bolsonaro. Mas isso mudou.

Com a proximidade das eleições, que acontecem em outubro do ano que vem, e o crescimento de Bolsonaro nas pesquisas de intenção de votos realizadas por diversos institutos, o candidato que vai deixar o Partido Social Cristão (PSC) e vai mudar para o Partido Ecológico Nacional (PEN) [VIDEO], virou alvo.

Em evento realizado nesta sexta-feira (11), na Faculdade Nacional de Direito (FND) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), #Lula e Dilma discursaram e Bolsonaro foi atacado por ambos.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Lula, a esquerda brasileira precisa juntar os cacos, se unir e tentar a vitória em 2018. Para o ex-presidente da República, a oposição ajudou a “parir” Bolsonaro.

Quando se fala em oposição, o PT cita principalmente o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Foi o que fez ex-presidente Dilma Roussef. Segundo ela, O PSDB ajudou a viabilizar Bolsonaro, a quem ela chamou de “o que há de mais conservador no país”.

Bolsonaro aparece bem em praticamente todos os cenários das pesquisas feitas pelo Datafolha, Paraná Pesquisas, Ibope e CNT/DMA.

Moro e imprensa

Como quase sempre faz em suas entrevistas, Lula se colocou no papel de vítima do juiz federal Sergio Moro. Segundo o ex-presidente, como ele já tem dito em várias entrevistas, o juiz o condenou sem provas, baseado apenas no que diz a opinião pública.

Publicidade

Lula afirmou que ainda que, se for eleito, vai regularizar a imprensa. “A Dilma errou e eu errei quando não fizemos a regulação dos meios de comunicação”, garantiu o ex-presidente.

Confiante, Lula falou que se for candidato à Presidência da República, vai ganhar as eleições e vai regular os meios de comunicação. O ex-presidente fala na condicional porque, caso seja condenado em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá, ficará inelegível e não poderá concorrer no pleito presidencial.

Esquerda

Apesar de falar em união da esquerda, Lula atacou o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), em entrevista recente. Entre outras coisas, o homem forte do PT insinuou que o PSOL vive muito a teoria e não a prática da política, porque nunca governou um grande estado.

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) rebateu Lula e aumentou o racha na esquerda brasileira, dividida entre seguidores do PSOL e seguidores de Lula e do PT. #Bolsonaro2018