Publicidade
Publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO] Luiz Fux se surpreendeu com a quantidade de informações da delação do ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa. Todos os papéis chegaram até seu gabinete para homologação. Segundo o ministro, a delação é "monstruosa" e ele pede a atenção de todas as pessoas para o conteúdo das informações e o volume do processo.

Fux chegou a dizer que depois da Operação Lava Jato, essa poderia ser considerada a segunda maior operação no país. De acordo com as informações do colunista Lauro Jardim, do jornal "O Globo", um dos alvos principais de Silval é o ministro da #Agricultura do governo Michel Temer, Blairo Maggi, que também já exerceu o cargo de governador do Mato Grosso.

Publicidade

Ele esteve comandando o estado entre os anos de 2003 a 2010. Silval, que acabou sendo preso, chegou a ser vice do seu antecessor.

Segundo informações da imprensa, mas, por enquanto, não confirmada por Fux, o ministro teria já feito a homologação da delação de Pedro Nadaf, que foi secretário de Silval Barbosa.

Corrupção

O ex-governador Silval Barbosa disse que falaria sobre todos os episódios de corrupção que aconteceu no seu governo. Ele citará um esquema criminoso gigantesco de corrupção. Colaborando com a Justiça, Silval amenizaria as suas punições que podem ultrapassar 26 anos de cadeia.

Ele já foi ouvido três vezes em juízo e confirmou o esquema fraudulento dele e de mais cinco réus de terem cobrado R$ 2,6 milhões de um empresário para que as três empresas dele fossem beneficiadas e conseguissem ser incluídas no Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic) para conseguir incentivos fiscais.

Publicidade

Invasão de terras

Na terça-feira (25), o ministro da Agricultura teve suas fazendas invadidas pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra). O movimento escolheu as terras daqueles que estão encrencados na Justiça com suspeitas de corrupção, tirando, claro, os políticos de esquerda.

João Pedro Stedile, líder do movimento, foi o responsável em convocar todos para as invasões e segundo ele, o país já não tem mais política pública para a questão agrária. A intenção de Stedile é mostrar ao povo que eles não tem medo de nada.

Para os líderes da invasão, Blairo Maggi nunca se preocupou com os problemas do país e merecia ser alvo dessas invasões. Uma indignação do movimento é que Maggi apoia as reformas trabalhista e previdenciária e isso seria péssimo para os agricultores. #STF