Presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4), o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, de 54 anos, rasgou elogios ao juiz federal Sérgio Moro, em entrevista ao jornal 'O Estado de S. Paulo', concedida na segunda-feira (31).

Elogio

Lenz classificou a sentença de Sérgio Moro, que condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, como “tecnicamente irrepreensível”. [VIDEO]

A opinião do desembargador colide com parte da opinião popular que acredita que Lula está sendo vítima de injustiça cometida por Moro. Para muitas pessoas, principalmente os petistas, o ex-presidente da República é inocente.

Publicidade
Publicidade

O presidente do TRF-4 afirmou que ainda que as pessoas têm o direito de não gostar da sentença, mas acrescentou, em poucas palavras, que gostou. “Isso eu não vou negar”, garantiu Lenz. [VIDEO]

Para ele, Sérgio Moro fez exame irretocável e minucioso dos autos antes de proferir a sentença ao pré-candidato à Presidência da República nas eleições do ano que vem.

O juiz federal vem sendo algo de críticas e elogios desde que foi alçado à condição de herói nacional para alguns e vilão para outros. Aliados de Lula, por exemplo, costumam dizer que Moro foi treinado pelos Estados Unidos.

Fãs – pode-se dizer assim – de Moro elogiam bastante o trabalho dele e o classificam como um grande homem na luta contra a corrupção que devasta o Brasil de norte a sul do país.

Há, inclusive, quem peça que Moro se candidate a algum cargo eletivo.

Publicidade

Pesquisa do Datafolha mostrou que ele venceria Lula em um hipotético segundo turno das eleições presidenciais.

Julgamento de Lula

O ex-presidente foi condenado a nove anos e seis meses de prisão e sua defesa recorreu da decisão proferida por Moro. Agora, Lula vai ser julgado pelo TRF-4, em #segunda instância.

Políticos condenados em segunda instância caem na Lei da Ficha Limpa e ficam impedidos de concorrer a cargos eletivos. Isso significa que se o TRF-4 ratificar a condenação aplicada por Moro, Lula não poderá concorrer à Presidência da República no ano que vem.

A oitava turma do TRF-4, que vai julgar o petista, é composta por três desembargadores. Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz não faz parte deste grupo. Ao Estadão, Lenz falou que não pode dizer se confirmaria a decisão de Moro, caso integrasse a oitava turma, porque não leu a prova dos autos.

O julgamento de Lula na segunda instância ainda não está marcado. #Sergio Moro