Muitos artistas, em meio a esse cenário político que passa o Brasil, resolveram sair da caixinha e dar suas opiniões. Entre eles estão o tão conhecido ator do filme ‘’Tropa de Elite’’ Wagner Moura; a atriz Letícia Sabatella, defensora de longa data do PT; e a já consagrada atriz Patrícia Pillar.

Eles fazem comentários polêmicos, envolvendo o povo brasileiro e o presidente Michel #Temer. O que todos esses três famosos têm em comum é atuação e representatividade da esquerda brasileira.

A polêmica gerada pela atriz Patrícia Pillar

A atriz #Patrícia Pillar falou o que achava da situação atual em que o Brasil se encontrava e fez duras críticas ao governo atual.

Publicidade
Publicidade

Na crítica, que foi feita em sua conta no Twitter, a atriz mostrou toda sua indignação não só com o presidente Michel Temer, mas também com o povo brasileiro. A causa de sua indignação é por conta de Temer ter saído imune da votação que aconteceu na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (2) sobre a acusação de corrupção passiva contra o presidente.

A atriz disse no seu Twitter que era com muito desgosto que reconhecia que a população brasileira, na grande maioria, estava sendo conivente com o estado de "banditismo" que o país atravessa.

A contradição de Patrícia Pillar

A contradição da atriz se mostra a partir do momento que ela diz que a maior parte do povo brasileiro concorda com o banditismo que está sendo perpetrado atualmente no estado brasileiro.

Dessa forma, a atriz se excluía do termo ‘’banditismo’’, utilizado somente para nominar a maior parte do povo brasileiro e o presidente Michel Temer.

Publicidade

"Acorda, Brasil! O país está sendo entregue, sem nenhum voto, a uma direita corrupta, obscurantista e mafiosa, que não tem nenhum compromisso com as pessoas mais pobres do Brasil! Este não é o futuro que eu quero! Sou contra!!!", disse a atriz em 2016, quando a ex-presidente #Dilma Rousseff enfrentava o processo de impeachment.

Nesta mesma postagem, a atriz ainda colocou a foto de Dilma. Por isso, a atriz passa a entrar em contração por ter defendido a ex-presidente, que, por sinal, assaltou bancos na época da ditadura militar.

O banditismo quem defende é a atriz Patrícia Pillar; veja o que disse o site O Globo em 2010

"Junto a vários grupos clandestinos, Dilma Rousseff [VIDEO] organizou três assaltos a banco e fundou a Vanguarda Armada Revolucionária de Palmares. Em 1969, ela planejou o lendário roubo conhecido como 'Roubo do Cofre do Adhemar'.", e é assim que o ex-embaixador americano John Danilovich define a ex-presidente Dilma.

Dessa forma, seria mais coerente que atriz se colocasse no rol também daqueles que defendem o banditismo.