Não é de hoje que o deputado Wladimir Costa (SD-PA) adora chamar a atenção de maneira sensacionalista. Durante a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, no ano passado, ele desfilou pelo Congresso Nacional com uma bandeira de seu estado enrolada no pescoço, como se fosse a capa de um super-herói, além de um bastão de confetes que era disparado, sempre que ele fazia uma discurso. Nos últimos dias, o deputado voltou a ganhar a atenção dos holofotes, ao tatuar em seu ombro a bandeira do Brasil e logo abaixo, o nome de Temer. A homenagem, entretanto, foi ridicularizada pelos colegas do congresso.

Na tarde de hoje (02), o deputado Costa tentou defender o presidente #Michel Temer no congresso e para isso, não poupou ataques, dizendo que o PT não é um partido, mas sim uma organização criminosa.

Publicidade
Publicidade

Aos berros, o deputado afirmou ainda que no Pará, o presidente tem mais de 80% de aprovação. Em seguida pediu, novamente aos berros, que os cinegrafistas o mostrasse "porque quem é Temer mostra a cara e até tatua o nome aqui no ombro". O parlamentar ainda encerrou seu discurso utilizando vários adjetivos ofensivos aos opositores do governo, tais como “imorais”, “enlameados” e “falsos moralistas”.

Se a intenção do deputado Costa era sair consagrado após mais um discurso espetaculoso, o tiro saiu pela culatra. Durante e após a sua fala, o que se ouviu foram risos, vaias e piadas, feitas por colegas de diversos partidos. Alguns gritaram para que ele mostrasse a tatuagem de hena, outros pediram que ele lavasse a boca e para completar o fiasco, o parlamentar teve que ouvir um pito do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) que o advertiu afirmando que na casa havia partidos políticos e não organizações criminosas e que o deputado não voltasse mais a usar essa expressão.

Publicidade

Mais piadas

Antes de arrancar várias gargalhadas de parlamentares, o deputado Costa já tinha sido motivo de piadas. Alguns colegas decidiram ironizar a tatuagem feita por ele e colaram adesivos nos ombros com a bandeira do Brasil e a expressão “Fora Temer”.

Deputado é réu e foi defensor de Cunha

Apesar de berrar sobre moralidade, o deputado Costa é réu no Supremo Tribunal Federal, desde 2010, sob a acusação de ter ficado com dinheiro que era destinado a funcionários fantasmas.

No ano passado, Costa defendeu arduamente o não afastamento do colega Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mas depois, voltou atrás e foi favorável ao afastamento. #Wladimir Costa #Dilma Rousseff