A semana iniciou-se com novas informações sobre as delações premiadas da JBS, que, diga-se de passagem, segundo o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, serão investigadas e usadas como provas materiais em sua íntegra, independente da anulação ou não dos benefícios cedidos aos donos da empresa, #Joesley Batista e seu irmão.

A defesa do Presidente Michel Temer pretende pedir formalmente cópias dos áudios da nova gravação entregue a Rodrigo Janot (primeira parte da gravação no final da matéria).

Segundo o advogado Antônio Cláudio Mariz, responsável pela defesa de Temer, a credibilidade de Rodrigo Janot consequentemente a da Procuradoria Geral da República a qual ele representa, acabou se enfraquecendo devido à precipitação que houve em entregar a primeira denúncia contra Michel Temer.

Publicidade
Publicidade

Mariz disse que irá aguardar para decidir se irá ou não solicitar a anulação das provas em questão. Tanto Michel Temer, quanto sua defesa estão cautelosos quanto a qualquer pronunciamento do caso, que cause uma impressão de comemoração premeditada, o próprio presidente contactou aliados e assessores e pediu para que mantivessem calma a respeito dos novos fatos.

Em entrevista cedida ao jornal O Globo, Mariz afirmou que a iniciativa de apontar vícios processuais (termo jurídico que indicar erro no processo podendo resultar em sua anulação), foi de Janot e que a partir do acesso a essas informações a defesa pretende traçar uma linha de ação. Mariz conclui dizendo que vai requerer formalmente essas provas ao Ministro relator do caso, Edson Fachin.

A defesa de Michel Temer acredita que, ao passo que se faz uma revisão sobre os acordos feitos com os donos da JBS, Rodrigo Janot não se precipite novamente em uma possível nova denúncia, pois, segundo Mariz, a credibilidade da PGR já está abalada.

Publicidade

Quanto ao novo fato que surgiu nas gravações, sobre a elaboração da delação pelo ex-auxiliar de procuradoria, Marcello Muller, a defesa de Michel Temer já havia alertado ao fato de Marcello ter integrado a Força-Tarefa da Operação #Lava Jato e em seguida tornar-se advogado dos irmãos Batista.

A estratégia do presidente Michel Temer e sua defesa será questionar a forma que foram obtidas nessas provas que originaram a primeira denúncia que, por pouco, não resultou no impeachment de Temer.

Aliados próximos [VIDEO] a Michel Temer ao tomarem conhecimento dos novos fatos trazidos a público pelo próprio Rodrigo Janot, fortaleceram a tese de que os donos da JBS foram desmascarados e suas mentiras vieram à tona invalidando a delação premiada feita a Operação Lava Jato. Concluindo, chamando Joesley Batista de ‘mentiroso geral República’, fazendo uma analogia à nota publicada pelo empresário, onde chamava o presidente Michel Temer de ‘ladrão geral da República’. [VIDEO]

Ouça a primeira parte do audio que pode anular a delação da JBS:

#audio jbs