Publicidade
Publicidade

De acordo com a Revista 'Veja', o procurador-geral da República, #Rodrigo Janot, foi citado em um novo áudio de #Joesley Batista. Nele, o empresário afirma que Janot poderia ser um candidato a presidente [VIDEO] da República.

Há pouco mais de três semanas, foram a público novas gravações de conversas entre o empresário Joesley Batista e Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais do grupo J&F. Esses áudios acabaram fazendo com que a Justiça cancelasse todos os benefícios oferecidos dentro do acordo de delação premiada do caso JBS. Nos áudios gravados, eles tiveram uma longa conversa planejando e detalhando como seria feito o acordo - o plano já estava prestes a ser colocado em prática.

Publicidade

Eles também estavam contando com o apoio de um antigo assessor de Janot.

O ex-assessor estava orientando os executivos da JBS durante as negociações, mas Janot acabou pedindo que as delações prestadas pelos delatores Joesley e Saud passassem por uma investigação para descobrir se eles haviam omitido algum crime. Foi comprovada a omissão dos delitos e Janot acabou determinando a prisão dos executivos e de seu ex-assessor.

O Supremo Tribunal Federal (STF) irá decidir se as provas apresentadas pelos delatores no momento do acordo continuaram sendo válidas. Nestas provas existe um diálogo que compromete o presidente da República, Michel Temer do (PMDB). E em outro é citado o nome do senador Aécio Neves (PSDB-MG). As novas gravações, que já se encontram em domínio da Procuradoria-Geral da República, foram acidentalmente entregues pelos próprios executivos e prometem deixar o debate ainda mais acirrado.

Publicidade

Novos áudios foram apresentados pelos delatores

Foi divulgado pela 'Veja' que há pelo menos quatro áudios com conversas entre os delatores da JBS. Inclusive, um desses áudios foi gravado assim que eles saíram da sede da Procuradoria-Geral. Quando eles estavam a caminho do aeroporto encontraram o diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva, e comentaram a respeito das impressões captadas durante a reunião da entrega dos áudios.

Ricardo Saud se sente confiante com a negociação, mas o diretor jurídico, Assis e Silva, já se mostra mais preocupado sobre alguns riscos e o compromisso político entre Janot e Temer [VIDEO]. Saud aparece logo depois nos áudios sugerindo que Janot protegesse Aécio e que seria a melhor escolha entre as duas opções porque Janot não conseguiria proteger os dois. Mas, Assis e Silva rebate dizendo que os procuradores não têm muita simpatia pelo PMDB. Em outro momento da gravação, Joesley aparece sugerindo lançar Rodrigo Janot como presidente da República ou outra pessoa.