Publicidade
Publicidade

Tudo parecia estar favorável ao ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva (PT), pelo menos na mídia. O foco era o presidente #Michel Temer, mas de repente o furacão #Palocci avançou sobre Curitiba (PR) na categoria 5 destruindo parte do que restava no projeto do PT. "Estou decepcionado", disse Lula [VIDEO]após saber da delação do homem mais forte de seu governo, Antonio Palocci, que afirmou ao juiz Sérgio Moro que o Instituto Lula chegou a receber da Odebrecht R$ 4 milhões.

Ele também entregou que Lula sabia da compra do terreno a construção do instituto e de um imóvel vizinho ao apartamento do fundador do PT, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Publicidade

A defesa do ex-presidente, no entanto, afirmou que as acusações de Antonio Palocci são falsas, sem provas e que ele falou sob pressão.

O inferno astral de Lula continuou nesta segunda-feira (11) com a divulgação da notícia de que o Ministério Público Federal (MPF) o denunciou por corrupção passiva na Operação Zelotes. De acordo com o Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF), o petista e outras seis pessoas são acusadas pelos crimes de corrupção ativa e passiva.

As investigações apontaram que as irregularidades foram praticadas no período em que foi elaborada e editada a medida provisória para prorrogar por cinco anos os benefícios tributários para as empresas do setor automobilístico. A denúncia aponta ainda que R$ 6 milhões dos R$ 33 milhões negociados seriam destinados ao ex-presidente Lula e ao seu chefe e gabinete na época, Gilberto Carvalho.

Publicidade

O dinheiro teria sido usado para o custeio de campanhas eleitorais do Partido dos Trabalhadores (PT).

A vida do ex-presidente segue complicada esta semana. Nesta quarta-feira (13), ele prestará seu segundo depoimento ao juiz Sergio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá o direito, como réu, de ficar em silêncio, mas ele teria afirmado às pessoas mais próximas que vai rebater os procuradores da República, que, segundo ele, mentem ao acusá-lo de ser beneficiado com propina da Odebrecht.

Para aqueles que esperam que Lula saia preso de Curitiba, ainda não será dessa vez, segundo informou o portal de notícias UOL, que consultou alguns criminalistas. Para o criminalista paulista Daniel Bialski, que atua em processos da Lava Jato, Lula pode até exagerar em seu direito de defesa, mas não poderá ofender os servidores públicos no exercício de sua função. Porém, poderá demonstrar que está inconformado com a acusação que pesa contra ele.

Além disso, os advogados ouvidos pelo UOL acreditam que as chances de Lula ser preso preventivamente na quarta-feira são mínimas, mesmo depois do ministro Antonio Palocci ter entregado tudo e todos em seu depoimento. A eventual prisão de Lula colocaria fim ao projeto de poder do PT.