Publicidade
Publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, participou de um evento da CNJ (Conselho Nacional de Justiça), nesta segunda-feira (04), que teve o objetivo de mostrar as estatísticas sobre o Judiciário.

Fux afirmou que enxerga um tipo de movimento que busca minimizar e enfraquecer os Juízes em suas decisões. Para o ministro, é o poder Judiciário que está evitando do Brasil de sofrer um "naufrágio".

O ministro declarou que aproveitaria a oportunidade do evento para deixar claro que todos devem ficar atentos com os atos de grandeza e que buscam melhorar o país. Porém, existem atos vergonhosos e ameaçadores que podem prejudicar o andamento da Justiça.

Publicidade

Fux comentou que movimentos recentes vivem criando estratégias para enfraquecer a figura do juiz e dessa forma, tentar "abafar" decisões importantes do Judiciário.

O ministro da Corte ressaltou aos jornalistas que estava se referindo a várias críticas, consideradas por ele infundadas, que tentam prejudicar as investigações. Fux citou as contestações das colaborações com a Justiça realizadas por delatores, a pressão sofrida pelo ministro Edson Fachin quando homologou as delações e os pedidos para a suspeição do juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato. Fux disse que tudo isso tem sido formas para criticarem as atuações do Judiciário, o que seria um grave erro.

Segundo o ministro, os investigados agem como se nada estivesse acontecendo com eles, o que seria um absurdo.

Dados da CNJ

De acordo com os dados da CNJ, divulgados nesta segunda, o gasto médio do Poder Judiciário com cada juiz é de R$ 47,7 mil por mês.

Publicidade

Essas estatísticas envolvem os juízes que estão exercendo suas funções atualmente e os que já estão aposentados.

Atualmente, estão em atividade 18.011 juízes, desembargadores e ministros dos tribunais superiores.

Nestes valores estão inclusos, além do salário, benefícios e despesas indenizatórias.

Congresso Nacional

Luiz Fux fez críticas ao Congresso Nacional durante uma entrevista ao jornal "O Globo" na semana passada. Ele afirmou que o Congresso tenta de todas as formas anular a Operação Lava Jato. O caso pode ter o mesmo fim da Operação Mãos Limpas, na Itália, em que os parlamentares começaram com algumas reformas para tirar o foco das investigações e aos poucos foram enfraquecendo o Judiciário.

Fux criticou, por exemplo, a Lei de Abuso de Autoridade que para ele, seria a criação de um tipo de ameaça legal às atuações dos juízes. #STF #Moro