Publicidade
Publicidade

Os desdobramentos da crise enfrentada pelo Poder Judiciário no país, principalmente, em se tratando do Supremo Tribunal Federal (STF), que trouxe à tona, intensas divergências entre vários ministros da mais alta Corte brasileira, acarretou que novas revelações fossem externadas pelo ministro Marco Aurélio Mello, contra um dos ministros mais polêmicos da Suprema Corte; #gilmar mendes. O recente episódio em que envolveu o caso JBS e que levantou grandes dúvidas em relação ao acordo de colaboração premiada entre o empresário Joesley Batista e a Procuradoria-Geral da República, sob a condução do procurador Rodrigo Janot, elevou a crise e as discussões no Supremo, de maneira que ocorressem opiniões muito divergentes, entre os magistrados.

Publicidade

Vale ressaltar que com a divulgação do conteúdo do acordo de colaboração premiada do empresário Joesley Batista, dono de uma das maiores empresas na venda de carnes processadas em todo o mundo, acarretou a apresentação pela Procuradoria-Geral da República, de uma denúncia contra o presidente da República Michel Temer, que acabou conseguindo a rejeição da denúncia em Plenário da Câmara dos Deputados.

Inimizade entre Marco Aurélio e Gilmar Mendes

Em uma entrevista recente concedida à Rádio Guaíba, de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul, o ministro Marco Aurélio Mello afirmou, de modo contundente, que estaria nutrindo uma inimizade muito grande para com o ministro Gilmar Mendes. De acordo com as palavras de Marco Aurélio, seria algo considerado a uma "inimizade capital".

Publicidade

Em uma de suas declarações à rádio e que acabou repercutindo intensamente na imprensa e perante o público, Marco Aurélio Mello afirmou que se ambos estivessem em um período relativo ao século 18, tanto ele, quanto Gilmar Mendes partiriam para um duelo de vida ou morte. O magistrado deixou bem claro qual seria a sua constatação para as desavenças para com Mendes, ao declarar que em relação a ele, fica a sua opinião de que Gilmar Mendes teria passado de todos os limites, classificados por Marco Aurélio, como inimagináveis. O magistrado do Supremo Tribunal Federal (#STF) foi ainda mais longe ao relatar que se estivessem no século 18, escolheria enfrentar a Mendes no embate que terminaria em um duelo, com uma arma de fogo e não uma arma branca.

Ainda durante a sua entrevista, Marco Aurélio Mello preferiu não comentar a declaração do ministro Gilmar Mendes, que teria chamado o procurador-geral da República Rodrigo Janot, de 'delinquente'. Marco Aurélio se esquivou ao dizer que não se pronunciaria, já que não era censor de Gilmar Mendes.

As "rusgas" entre os magistrados é de longe época. No último mês de maio, Gilmar Mendes teria se referido a Marco Aurélio Mello, como velhaco, com uma personalidade em sua vida pública que nunca teria sido grande coisa, no aspecto ético, moral e intelectual.

#Lava Jato