O empresário Joesley Batista [VIDEO] e o executivo Ricardo Saud estão presos e terão muita coisa para explicar aos investigadores. Porém, uma coisa está no ar e envolve o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin e o procurador-geral da República, #Rodrigo Janot. Provavelmente eles terão também que informar sobre decisões que tomaram e sobre alguns equívocos em suas atitudes.

Fachin determinou a prisão dos executivos, mas não concordou em prender o ex-procurador, Marcello Miller. É de se estranhar isso, já que há uma grande suspeita do ex-procurador ter feito uma colaboração ilícita com os delatores. Quais são as razões dele ter ficado solto e os outros não?

Um outro fato que está sendo analisado é que o ministro decretou a prisão temporária dos empresários sem mandados de busca e apreensão.

Publicidade
Publicidade

Dessa forma, a Polícia Federal foi impedida de entrar na casa deles e buscar mais provas antes que sejam ocultadas por uma outra pessoa. Fica no ar o porquê disso.

Segundo o site "O Antagonista", Fachin encaminhou a sua decisão de prendê-los para a Procuradoria-Geral da República (PGR) na sexta à noite, mas a PF só recebeu o comunicado no sábado à tarde. Qual o motivo de tanta demora? Por que Janot estaria sem pressa, sendo que suas decisões têm sido rápidas, ainda mais agora que ele está nos últimos dias para sair da PGR.

E para causar mais estranheza nisso tudo, um dos mandados veio com endereço errado e precisou ser arrumado, demorando ainda mais a ação da PF. Essas demoras e falhas bobas podem ter algum sentido, ainda que desconhecido.

Janot no boteco

O procurador-geral da República foi flagrado na manhã de sábado junto com um advogado de Joesley, Pierpaolo Bottini.

Publicidade

O encontro se deu antes da PF ser comunicada sobre o mandado de prisão dos executivos. No encontro, eles podem ter conversado sobre a prisão de Joesley e Saud, mesmo eles afirmando que o encontro foi casual. Janot até costuma ir nesse boteco de vez em quando, mas Bottini não.

Conforme informações da PF, existiam rumores de que Miller seria preso também e haveria mandados de busca e apreensão na casa dos delatores. Uma mudança de última hora foi decidida e Janot e Fachin terão muito que explicar.

Salvação

Joesley falou em seu depoimento [VIDEO] que o ex-procurador Miller não ajudou na produção de provas nem na elaboração dos anexos. O dono da JBS também disse que Miller jamais vendeu facilidades. Essa salvação do ex-procurador foi tomada após a Procuradoria dizer que pode rever o acordo de delação feita com os empresários. #STF #Joesley Batista