O ex-braço direito do ex-presidente Luiz Inácio #Lula de Siva, do Partido dos Trabalhadores (PT), Antonio #Palocci, decidiu denunciar o "ex-amigo". Em delação premiada dada à 'Operação Lava Jato', Palocci [VIDEO] acabou fazendo a acusação mais grave - até agora - contra o petista. De acordo com ele, Lula recebeu um pacote de propinas, que chegou a incluir o terreno do instituto Lula, um sítio em Atibaia. Segundo Palocci, a ex-presidente Dilma Rousseff também saberia das propinas, que foram pagas pela empreiteira Odebrecht.

Palocci diz que Lula movimentou propina de R$ 300 milhões da Odebrecht

Um apartamento no ABC Paulista também teria sido um presente da Odebrecht para que Lula facilitasse os contratos da empresa.

Publicidade
Publicidade

O ex-Ministro está preso desde o ano de 2016 em Curitiba, no estado do Paraná. Palocci fez as revelações em um depoimento de duas horas ao juiz federal Sérgio Moro. De acordo com ele, era comum a troca de vantagens e propinas envolvendo Lula e Dilma, incluindo também o caixa 1 e o caixa 2 para as campanhas eleitorais.

Lula e Dilma tinham relação intensa de corrupção com Odebrecht, revela Palocci

Palocci confirmou que chegou a participar de alguns acordos e que também teve vantagens nos acordos de corrupção. Segundo ele, a Odebrecht chegou a ficar tensa, assim que Dilma foi eleita. No entanto, a relação, aos poucos, acabou se normalizando, até a crise do governo de Rousseff, que concomitou também com a crise econômica pela qual passou o país.

Lula e Odebrecht teriam 'pacto de sangue', diz ex-braço direito do ex-presidente

O ex-presidente Lula, segundo o ex-Ministro, teria um "pacto de sangue" com Emílio Odebrecht. Assim, o empresário levou o que Palocci chama de "pacote de propinas", citando, por exemplo, o sítio que a família do petista mora.

Publicidade

Além de todos os empreendimento, o empresário garantiu que Lula, caso necessitasse, teria em suas mãos para campanhas eleitorais, pelo menos R$ 300 milhões.

O depoimento de Palocci é um tiro no pé de Lula e apenas uma das ações em que o ex-presidente da República é acusado na Lava Jato. Lembrando que o petista já foi condenado a mais de 9 anos de prisão em outra ação envolvendo a investigação. A condenação foi dada pelo juiz federal Sérgio Moro, mas Lula pode recorrer em liberdade. O representante do PT nega que tenha cometido os crimes ditos pelo ex-Ministro, que garante ter provas de tudo o que disse em depoimento à Justiça.