Publicidade
Publicidade

#Michel Temer está encrencado. A #Polícia Federal divulgou nesta segunda-feira (11) que tem elementos que sugerem que o presidente da República participou de um grande esquema criminoso. Essa é a pior acusação contra Temer desde que ele assumiu em definitivo o mandato. Para a Polícia Federal, Temer participava de uma quadrilha que fazia o desvio de recursos em órgãos públicos.

A Polícia Federal já enviou a conclusão das apurações feitas até o momento para o Supremo Tribunal Federal (STF). O órgão máximo da justiça do país deve analisar se abre ou não uma investigação sobre Michel Temer. Como o peemedebista ainda está com mandato em vigor, isso pode gerar sérios problemas.

Publicidade

Michel Temer formaria quadrilha com deputados e ex-Ministro Geddel

O caso foi divulgado pelo 'Jornal Nacional'. Os investigadores da Polícia Federal, ao fazerem a análise da situação, acabaram encontrando indícios de que ex-deputados também fariam uma quadrinha com Temer. São eles Eduardo Cunha, que foi presidente da Câmara, e Henrique Alves.

O ex-Ministro Geddel Vireira Lima, preso nessa semana, após a Polícia Federal encontrar R$ 1 milhões em sua casa, também participaria do esquema. Outros nomes importantes do governo, como Eliseu Padilha e Moreira Franco seriam os outros políticos que fazem parte da trupe que teria roubado o país.

Temer pode responder acusação da Polícia Federal, pois crime não teria parado após ele virar presidente

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai ter que enviar a papelada para a Procuradoria Geral da República.

Publicidade

Essa, por sua vez, analisará a denúncia e vai ver se é coerente abrir uma denúncia contra os políticos que tem foro privilegiado.

No caso de Temer, a Polícia Federal garante que o inquérito conta ele é válido, pois o crime continuou quando ele estava no mandato. A constituição diz que o presidente, durante o seu mandato, não pode ser processado por questões anteriores ao pleito, a fim de não atrapalhar a sua gestão.

Michel Temer já foi absolvido por Câmara e não precisou encarar STF recentemente

Além da aprovação do STF e da Procuradoria da República, uma investigação contra Michel Temer só poderia ser feita, caso a Câmara dos Deputados aprove isso. É bom lembrar que, recentemente, a Câmara votou uma situação parecida. Michel Temer acabou se dando bem e não pôde ser julgado pelo STF enquanto ainda for presidente. Muitos creem que o mesmo aconteceria, caso insistissem na ideia.