Publicidade
Publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), #gilmar mendes, declarou que também foi gravado pelo dono da empresa JBS, #Joesley Batista. No dia 1° de abril desde ano, Gilmar teria recebido Joesley no IDP, escola de Direito da qual Mendes é sócio, e tido uma conversa com Joesley.

O encontro com Mendes aconteceu cerca de três semanas após o empresário ter gravado conversas com o presidente da República, Michel Temer. As gravação de Temer aconteceram secretamente no Palácio do Jaburu. Na época, Joesley já estaria preparado em firmar um acordo de delação premiada com a procuradoria-geral da República. [VIDEO]

Recentemente, uma nova gravação vazou mostrando que o objetivo de Joesley e do executivo da JBS, Ricardo Saud, era tentar "dissolver o Supremo".

Publicidade

Na gravação, foram citados o ministros Gilmar Mendes e a presidente do STF, Cármen Lúcia. O plano dos empresários era tentar incluir na delação premiada algo que prejudicasse os ministros da Suprema Corte. A presidente do STF chegou a acionar a Polícia Federal após o fato ser revelado e emitiu um vídeo e uma nota repudiando a atitude falha do empresário. [VIDEO]

Agora, Gilmar Mendes acredita que o encontro que teve no IDP serviu para uma gravação secreta. O ministro enfatizou que ele poderia ter caído na armadilha de Joesley no tempo em que o empresário negociava a delação. Mendes diz estar "convencido" de que foi gravado e ele lembra da insistência do executivo para marcar um encontro.

O ministro disse que se ele realmente foi gravado, a conversa ocorreu dentro da "normalidade" e que ele não teria dito nada demais.

Publicidade

Com isso, disse que não há preocupação alguma de sua parte. Um dos pontos tratados na reunião com Joesley, foi sobre um agronegócio que seria julgado no STF dias mais à frente. Mendes votou contrário à opinião da JBS sobre o caso.

Há preocupação, sim!

Uma advogada da JBS disse ter sido acionada por Dalide Corrêa, ex-braço direito de Gilmar na IDP, para tentar interferir na decisão dos empresários da JBS a não dizerem algo que iria comprometer ela própria e o ministro Gilmar Mendes. Segundo a revista "Veja", documentos comprovariam que integrantes da JBS estariam tentando interferir nas decisões dos ministros de tribunais superiores.

Tudo indica que Dalide estaria preocupada por causa de mensagens de textos trocadas que poderiam incriminá-la juntamente do ministro. Na opinião de Mendes, a "preocupação" de Dalide se dá pelo fato dela ter propiciado o encontro entre ele e Joesley, nada mais que isso. Resta agora saber se Gilmar tem ou não algum envolvimento ilícito com empresários da JBS. #CármenLúcia