Nesta quarta-feira (13), foi o dia do novo interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro e durou cerca de duas horas.

Lula é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de receber um terreno da construtora Odebrecht para que fosse construída a sede do Instituto Lula, na cidade de São Paulo, e um apartamento vizinho ao seu, em São Bernardo do Campo, que teria sido entregue para Lula utilizá-lo sem que fosse pago nada por isso. Todos esses benefícios ganhos por Lula, segundo o MPF, vem de propina da Odebrecht em contratos fraudulentos com a Petrobras.

Num determinado momento do interrogatório, Moro se irritou com o ex-presidente e foi bem claro: "não é momento de campanha, não é momento de discurso".

Publicidade
Publicidade

O juiz queria que Lula apenas respondesse as perguntas e não contasse o que já tinha feito em seu governo.

"Querida"

Outra advertência foi dada a Lula pelo juiz pedindo que ele não use o termo "querida" ao se reportar às indagações da procuradora do MPF, Isabel Groba Vieira. Ela mesma reclamou ao magistrado que não estava se sentindo bem ser tratada daquela forma. Moro comentou que ele havia se esquecido de pedir para que o depoente usasse o tratamento protocolar quando fosse dirigir suas afirmações às autoridades.

Moro [VIDEO] advertiu Lula e pediu para que ele não usasse esse termo "querida" no interrogatório.

Esse termo foi bastante utilizado para deferir várias provocações contra a ex-presidente petista Dilma Rousseff, após ela ter seu mandato cassado. Em uma conversa grampeada pelos investigadores, onde Dilma tenta com urgência nomear o ex-presidente [VIDEO] como um ministro dela, para conseguir um possível foro privilegiado, Lula, no final da ligação fala "Tchau, querida!".

Publicidade

Manifestantes contrários ao PT ao verem Dilma perder o cargo com o impeachment, começaram a utilizar esse termo para tirar sarro dela e essa mania acabou pegando entre os anti-petistas.

Palocci

No depoimento, Lula também disse que o ex-ministro do seu governo, Antonio Palocci, mentiu em um depoimento também dado ao juiz. "Eu vi Palocci mentir aqui", disse o petista. Lula disse que o ex-ministro foi "frio" e "calculista" e só agiu daquela forma para tentar aliviar a sua pena. O ex-presidente admitiu sentir pena de Palocci por ter essa atitude.

Em outro trecho do interrogatório, Lula falou para Moro que não solicitou a compra do apartamento vizinho e que as três denúncias feitas contra ele, através da Operação Lava Jato, são "ilações".

Palocci está sendo visto pelos petistas como um traidor ao entregar Lula para Moro e dificultar a sua vida na Justiça. #SérgioMoro